A expansão da economia por meio da eliminação de barreiras econômicas para mulheres

Mesa em forma de meio círculo com participantes sentados ao seu redor (Depto. de Estado/Freddie Everett)
Secretário de Estado, Michael R. Pompeo, assessora da Casa Branca Ivanka Trump e outras autoridades no Departamento de Estado em 12 de fevereiro (Depto. de Estado/Freddie Everett)

Uma iniciativa da Casa Branca espera beneficiar 50 milhões de mulheres em todo o mundo em desenvolvimento até 2025.

“Podemos trabalhar para capacitar milhões de mulheres a fim de que tirem suas famílias da pobreza, expandam a economia de seus países, reduzam a dependência e cumpram a promessa de mais paz e prosperidade”, disse Ivanka Trump, assessora da Casa Branca, em 12 de fevereiro. Na ocasião, marcou-se o primeiro aniversário da Iniciativa Desenvolvimento e Prosperidade Globais das Mulheres da Casa Branca* (W-GDP).

Desde o seu lançamento, a W-GDP beneficiou mais de 12 milhões de mulheres — e esse número promete crescer, disse Ivanka no Departamento de Estado dos EUA.

Gráfico com citação de Ivanka Trump sobre o empoderamento de mulheres empreendedoras (Depto. de Estado/ Helen Efrem)

A iniciativa aumenta a capacitação da força de trabalho e as oportunidades de empreendedorismo para mulheres em mercados emergentes por meio de parcerias público-privadas. Também aborda as restrições legais e sociais que impedem a participação das mulheres nas economias de seus países, incluindo a capacidade das mulheres de possuir propriedades e trabalhar nos mesmos empregos e setores que os homens.

Após o envolvimento de alto nível da Casa Branca e da assessora Ivanka Trump, dois países — Costa do Marfim e Marrocos — no ano passado, alteraram as leis que anteriormente impediam as mulheres de possuir propriedades e terras. Mas 75 outros países ainda têm leis que não permitem que as mulheres sejam proprietárias, gerenciem ou herdem propriedades.

Visando abordar essas questões, o secretário de Estado, Michael R. Pompeo, anunciou a criação de uma unidade do Departamento de Estado dedicada à iniciativa, sob a liderança da embaixadora-geral para Questões Globais da Mulher, Kelley E. Currie.

“A necessidade da W-GDP é clara e é urgente”, afirmou Pompeo. “Muitas barreiras têm impedido as mulheres de oportunidades em muitas partes do mundo.”

Close de Mike Pompeo com uma citação sobreposta de sua autoria sobre as conquistas das mulheres (Depto. de Estado/Ron Przysucha)