Edifício histórico com torres e paredes localizado em meio a montanhas (© DeAgostini/Getty Images)
Montanhas circundam edifício que serviu como uma das fortalezas do herói nacional albanês Gjergj Kastrioti Skanderbeg na cidade de Krujë, envolta por uma muralha, na Albânia (© DeAgostini/Getty Images)

Quando a Albânia foi atingida por um terremoto de magnitude 6,4 no ano passado, 51 pessoas morreram e mais de 3 mil ficaram feridas. O desastre também danificou as antigas fortificações de Krujë, Durrës e Prezë.

Mulher usa pincel para pintar teto e parede de prédio histórico (© Edlira Caushi)
A curadora de arte Edlira Caushi trabalha em pinturas murais na Mesquita de Dollmë em Krujë, Albânia, 16 de julho (© Edlira Caushi)

No entanto, um programa do Departamento de Estado dos EUA, denominado Fundo dos Embaixadores para a Preservação Cultural (AFCP)*, está ajudando a restaurar esses tesouros. Com uma doação de aproximadamente US$ 800 mil, o AFCP apoiará a estabilização emergencial de estruturas, a análise de conservação para cada fortificação e a reconstrução de seções danificadas. (Desde sua criação em 2001, o AFCP apoiou mil projetos em 125 países ao redor do mundo.)

Duas integrantes do staff da Embaixada dos Estados Unidos na Albânia, Lucija Straley e Mirela Cupi, descreveram a importância das fortificações.

Krujë

“A fortificação de Krujë está entre as principais atrações turísticas da Albânia”, disse Lucija.

Distante uma curta viagem da capital da Albânia, Tirana, o sítio de Krujë tem dois museus e um bazar histórico que vende artesanato albanês. O local também oferece vistas panorâmicas da paisagem circundante. Dentro de suas muralhas, Krujë tem um edifício abobadado conhecido como Tekke (mesquita) de Dollmë, dedicado a uma ordem islâmica sufista liberal chamada bektashismo. O prédio e o mural que adornam o interior da cúpula da mesquita foram danificados pelo terremoto.

Durrës

Durrës, cidade envolta por uma muralha e localizada ao longo da costa albanesa, é conhecida por sua fortificação defensiva e por um castelo, que foram construídos inicialmente pelo imperador bizantino Anastácio I, que esteve no poder de 491 da E.C. a 518 da E.C. A fortificação inclui uma extensa parede que originalmente tinha quatro torres, três das quais ainda estão de pé.

Seções da fortificação datam do final do século V e início do século VI da E.C., embora as muralhas da cidade tenham sido destruídas, reconstruídas e reforçadas várias vezes entre a Idade Média e o século 17.

 Edifício histórico parcialmente danificado visto de cima (© Instituto Nacional Albanês para o Patrimônio Cultural)
A parte da fortificação em Durrës, Albânia, que desabou durante um terremoto, é mostrada de cima (© Instituto Nacional Albanês para o Patrimônio Cultural)

Durrës tem um anfiteatro romano em seu perímetro. Popular cidade portuária com vista para o mar, atrai visitantes internacionais e do próprio país — 407 mil em 2019, disse Mirela.

Prezë

Prezë, localizada no topo de uma colina, possui quatro torres, incluindo uma torre do relógio — uma em cada canto de suas muralhas. “Ela oferece um cenário idílico e vistas deslumbrantes do Mar Adriático”, disse Lucija. Foi uma fortaleza para o herói nacional da Albânia, o nobre Gjergj Kastrioti Skanderbeg, que defendeu seu país contra as invasões otomanas de 1444 a 1466.

A fortificação de Prezë é uma estrutura em forma de pentágono, construída nos séculos 14 e 15, e inclui as ruínas de suas antigas torres de vigia em quatro de seus cinco cantos. “Segundo a lenda”, disse Mirela, “as pessoas usavam tochas gigantes para se comunicar a longas distâncias dessas torres de vigia durante as batalhas de Skanderbeg contra os otomanos.”

Yuri Kim, embaixadora dos Estados Unidos, disse em seu discurso de 23 de junho, durante a cerimônia de assinatura*, que o projeto “demonstra o valor que os Estados Unidos conferem à rica herança da Albânia, e minha esperança é que o trabalho concluído seja um testemunho da profunda amizade entre nossos dois povos”.

* site em inglês