Agricultores dos EUA alimentam o mundo

Gráfico lista os cinco principais produtos agrícolas dos EUA (Departamento de Estado/J. Maruszewski)
(Departamento de Estado/J. Maruszewski)

Os agricultores americanos estão vendendo mais de seus produtos de alta qualidade para o resto do mundo do que nunca na história da agricultura dos EUA.

O secretário de Estado, Mike Pompeo, falando a agricultores em Iowa em 4 de março, disse que os agricultores dos EUA produzem safras “em níveis que o mundo teria ficado surpreso apenas alguns anos atrás”.

Os Estados Unidos, o maior exportador de alimentos do mundo, despacharam mais de US$ 139,5 bilhões em produtos agrícolas para o exterior em 2018, um aumento de US$ 1,5 bilhão em relação a 2017.

Essa é uma boa notícia tanto para os agricultores americanos como para as nações que importam produtos agrícolas dos EUA. Considerados de alta qualidade, seguros e confiáveis, esses produtos proporcionam alimentação suficiente para toda a população desses países.

O que os EUA cultivam

Qualquer pessoa que dirigir em estradas que atravessam o Meio-Oeste americano — Illinois, Iowa, Nebraska e outros estados — rapidamente percebe que o milho e a soja são as culturas mais comuns dos Estados Unidos e geram as maiores vendas de exportação agrícola.

Ao passar pelos estados de Kansas, Dakota do Norte, Montana e Washington, o viajante vai constatar que campos de trigo dominam a paisagem.

E quem visita Texas, Nebraska e Kansas vê enormes rebanhos de gado vagando por esses três principais estados produtores de carne bovina.

“O setor agrícola dos EUA é extremamente diverso”, disse Bryce Cooke, economista do Departamento de Agricultura dos EUA. “A acessibilidade e a variedade do suprimento de alimentos nos EUA refletem a produtividade e a diversidade de todo o setor agrícola.”

As exportações agrícolas representam mais de 1 milhão de empregos americanos nos setores de agricultura e pecuária, bem como empregos relacionados ao processamento, à embalagem e ao transporte das colheitas.

O futuro da agricultura americana

Até 2050, a demanda mundial por alimentos deverá aumentar em 60%. Para enfrentar esse desafio, os EUA vão elaborar novas práticas agrícolas, criar novos mercados e remover barreiras comerciais injustas.

Mapa-múndi mostra os principais destinatários das exportações agrícolas dos EUA (Departamento de Estado/J. Maruszewski)
(Departamento de Estado/J. Maruszewski)

“Também temos a mais alta qualidade por causa do nosso sistema de livre mercado”, disse Pompeo aos agricultores americanos. “As empresas valorizam sua marca em uma economia com base no mercado e trabalham para proteger essa reputação. Concorrência e escolha fazem com que as pessoas sigam as regras.”

“Estou confiante de que o próximo bilhão, e os bilhões seguintes, de pessoas que serão alimentadas em todo o mundo também serão alimentadas por elementos como inovação, criatividade e trabalho árduo dos EUA”, disse Pompeo

* site em inglês