Você sabia?

  • As mulheres representam uma grande parte da força de trabalho agrícola em países em desenvolvimento — até 50% na África Subsaariana.
  • As mulheres agricultoras são menos produtivas do que os homens, porque elas têm maior dificuldade em adquirir terra, ferramentas, crédito e capacitação.
  • Se as mulheres tivessem o mesmo acesso a esses recursos que os homens têm, elas poderiam aumentar os rendimentos agrícolas em torno de 20% a 30%.
  • O aumento da produção agrícola poderia reduzir o número de pessoas que passam fome no mundo em até 150 milhões.

Ao empoderar as mulheres da zona rural — com acesso ao crédito, os meios para transportar a safra para ser comercializada e, mais fundamentalmente, o direito básico de tomar decisões sobre o uso de suas terras e recursos — ajudamos a alimentar o mundo e desencadear avanços sociais importantes.

Mulheres da Tanzânia têm envolvimento e empoderamento no setor agrícola da nação (Paul Weisenfeld/Usaid)

Através de sua iniciativa Alimentar o Futuro e de outros programas, os Estados Unidos trabalham com vistas a melhorar a agricultura em 19 países parceiros na América Central, na África e no Sul da Ásia. Empoderar as mulheres agricultoras é uma estratégia bem-sucedida. E os resultados?

  • Na Tanzânia, melhor irrigação significa maior rendimento das lavouras, e melhor acesso a mercados equivale a maior rendimento nas plantações. Ainda como parte da agenda: o aumento do valor nutricional das lavouras e a melhoria de seu processamento e armazenamento.
Uma agricultora de Gana anda em sua plantação de soja (Elisa Walton/Usaid
  • Em Gana, os especialistas ajudam as agricultoras que cultivam arroz, milho e soja a introduzir variedades de sementes mais robustas, obter mais crédito e desenvolver melhores vínculos entre as agricultoras e os mercados.
Trabalhadora separa grãos de bico na instalação de processamento Agro Prom em Adama, na Etiópia (David Kahrman/Usaid Etiópia)
  • Com a ajuda dos EUA, uma empresa de processamento de alimentos da Etiópia abriu uma nova fábrica de processamento e limpeza de grão de bico*. À medida que os padrões de processamento melhoram, as agricultoras que cultivam grão de bico na Etiópia vão obter melhores preços para suas lavouras.

Quando as agricultoras prosperam, seus filhos são mais bem alimentados e têm maior probabilidade de frequentar a escola e serem bem-sucedidos. As crianças têm um futuro melhor, e também suas famílias e seus países.

Leia mais sobre promover as oportunidades das mulheres em países em desenvolvimento. E siga a hashtag da iniciativa Alimentar o Futuro #FeedtheFuture* para ver como até mesmo investimentos modestos produzem grandes resultados.

*site em inglês