Será que a Mulher Maravilha consegue atingir o Objetivo 5?

Retrato da Mulher Maravilha erguendo capa com a mão esquerda (Cortesia: Pete Sanders Group/PSG)
Lynda Carter, fantasiada de Mulher Maravilha nos anos 1970 (Cortesia: Pete Sanders Group/PSG)

Super-heróis de história em quadrinhos são conhecidos por salvar o dia, mas nenhum deles foi incumbido de ajudar a Organização das Nações Unidas. Até agora.

A Mulher Maravilha foi recentemente nomeada pela ONU como embaixadora honorária para o Empoderamento de Mulheres e Meninas. Seu novo título, conferido em 21 de outubro durante uma cerimônia na sede da ONU em Nova York, promoverá o Objetivo 5 dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU — conquistar a igualdade de gênero no mundo inteiro.

O anúncio coincide com o 75o aniversário da personagem. Portanto, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, convidou para participarem da cerimônia a presidente da DC Entertainment, Diane Nelson, Lynda Carter (que estrelou na série de tevê Mulher Maravilha de 1975 a 1979) e Gal Gadot (que faz o papel da Mulher Maravilha no filme de 2016 Batman Vs Superman: A Origem da Justiça).

As atrizes Gal Gadot e Lynda Carter acenam sorridentes durante cerimônia na ONU (© Getty Images/Dimitrios Kambouris)
As atrizes Gal Gadot e Lynda Carter participaram da cerimônia em homenagem à embaixadora da ONU Mulher Maravilha em Nova York (© Getty Images/Dimitrios Kambouris)

Lynda, que aparecerá em uma campanha de mídia social da ONU, cita a educação como a chave para o empoderamento de mulheres e meninas. “Quanto mais você sabe, mais pode se transformar”, disse ela.

Ela é muitas vezes contatada por fãs que dizem que sua atuação como Mulher Maravilha ainda os inspiram. Uma mulher postou no Facebook que lembra de episódios da série que a ajudou, quando menina, a lidar com assédio moral (bullying) na escola.

“Eu nunca me canso dessas histórias, de ouvir como a Mulher Maravilha afeta as pessoas”, afirmou Lynda. “Eu ainda amo a personagem. A Mulher Maravilha pertence a todos nós.”

A ONU acredita que “proporcionar a mulheres e meninas acesso igualitário a educação, saúde, trabalho decente e representação em processos de tomada de decisão política e econômica” beneficiará a humanidade.

Se você também está com a Mulher Maravilha, acompanhe no Twitter através da hashtag #withWonderWoman*.

* site em inglês