Como um sistema escolar está aderindo à energia solar

Os moradores de Fremont, Indiana, pequena cidade no Meio-Oeste dos Estados Unidos, sempre confiaram no Sol para aquecer seus campos e atrair turistas para os lagos da região. Agora estão contando com ele como fonte de energia para suas escolas.

William Stitt, superintendente de uma escola, afirmou que a tecnologia tem avançado muito nos últimos dois anos. Com isso, as escolas podem mais facilmente adotar a energia solar por registrar um consumo de energia mais baixo e ser mais rentável.

O custo para que as residências nos EUA dependam do Sol para obter eletricidade caiu mais de 60% ao longo de uma década. O menor custo ajudou a convencer mais de um milhão de americanos a instalar painéis solares no telhado de suas casas.

Custo inicial

A construção do projeto solar em Fremont custará US$ 3 milhões. Mas quando terminar, irá alimentar todos os prédios escolares da cidade. Se gerar mais eletricidade do que as escolas precisam, elas serão capazes de vender parte do excedente de volta para a empresa de energia.

A energia virá de várias fileiras de painéis solares — de 3 mil a 4 mil painéis por fileira — em um campo de 2,5 hectares atrás da escola de ensino médio. O distrito alugará o equipamento da empresa de energia local por 20 anos a uma taxa fixa.

“[Ela] vai nos custar aproximadamente a mesma quantidade que estamos pagando por serviços públicos hoje (…) para os próximos 20 anos”, diz Kim Quick, que chefia as operações de construção da escola. O equipamento deve durar 40 anos.

Futuramente, eletricidade gratuita

Em 20 anos, o distrito escolar será definitivamente o dono do equipamento, o que significa que não vai pagar nada por eletricidade.

Uma vez que os painéis estão sempre ligados, o distrito economizará dinheiro adicional ao reservar a eletricidade não utilizada que é gerada quando a escola está fechada.

“Estes [painéis] funcionam o ano inteiro. Mesmo em fase Lua cheia produzirão a eletricidade”, disse Quick.

Os painéis solares nos telhados da escola ou sobre um estacionamento representariam uma economia para a maioria das escolas, em média, de US$ 1 milhão em 30 anos, de acordo com o Censo Nacional das Escolas com Energia Solar* da Fundação Solar.

Bônus educacional

Adotar a energia solar também oferece às escolas uma demonstração prática e in loco que os professores podem aproveitar em suas aulas. Escolas do sistema Fremont terão um módulo de exibição ao vivo que as crianças podem visitar diariamente para saber quanta energia está sendo usada e economizada.

Se tudo correr de acordo com o planejado, o novo parque solar do Distrito Escolar Fremont estará em funcionamento até meados do terceiro trimestre de 2017.

Olhando mais adiante, o superintendente Stitt disse: “Eu adoraria que a comunidade e as crianças em 40 anos digam: ‘Cara, eles fizeram uma grande decisão há 40 anos criando este projeto solar!’”

* site em inglês