Cristãos americanos encontram renovação durante a Quaresma

Mulher asiática orando com uma cruz marcada na testa (© Scott Olson/Getty Images)
Em um ano em que o distanciamento social não era necessário, católicos celebraram a Quarta-Feira de Cinzas, que marca o primeiro dia da Quaresma, na Catedral do Santo Nome de Chicago (© Scott Olson/Getty Images)

Quando o reverendíssimo Michael Curry era menino, ele deixou de mascar chicletes Bazooka na Quaresma, assim como muitas crianças cristãs abrem mão de consumir chocolate ou algum outro doce.

Atualmente, como bispo-presidente e primaz da Igreja Episcopal, Curry entende mais claramente o que a Quaresma significa.

“É maior do que uma barra de chocolate Hershey”, disse ele. Os 40 dias de oração, jejum e doação aos outros começaram como uma preparação para as pessoas se unirem à igreja na Páscoa. Mas a temporada foi ampliada a fim de incluir todos os cristãos que buscam uma conexão mais profunda com sua fé.

De acordo com o Fórum sobre Religião e Vida Pública do Centro de Pesquisa Pew*, cerca de 70% dos americanos são cristãos, incluindo episcopais, católicos e metodistas. E para eles, a Quaresma “pode ser um momento para uma verdadeira renovação espiritual”, disse Curry.

O período que antecede a Páscoa reflete os 40 dias em que Jesus passou no deserto orando, jejuando e se preparando para seu ministério. Os cristãos americanos se lembram desses esforços através de várias abordagens. Eles abandonam os maus hábitos, deixam de comer carne às sextas-feiras, têm aulas de estudo bíblico, servem aos outros ou fazem doações de caridade.

A Quaresma representa “limpeza de primavera para a alma”, e a abstinência seja de doces, mídias sociais ou o que quer que a pessoa decida abrir mão é uma forma de se livrar das distrações que nos afastam da consciência espiritual, disse Ryan Dunn, ministro de engajamento on-line para a Igreja Metodista Unida, que tem 30 mil igrejas nos EUA

Bispo Michael Curry ao microfone com as mãos levantadas e uma bandeira atrás dele (© Rick Bowmer/AP Images)
O bispo Michael Curry fala após ser o primeiro afro-americano eleito como bispo presidente da Igreja Episcopal em 2015 (© Rick Bowmer/AP Images)

Curry diz que praticar a força de vontade ajuda as pessoas a “se tornarem conscientes de como o egoísmo pode nos desviar [do caminho] e como esse sentimento surge dentro de nós”.

Criando conexões apesar do coronavírus

Muitas paróquias católicas nos EUA tradicionalmente oferecem jantares sem o consumo de carne às sextas-feiras em seus salões de reunião e um conjunto de orações chamado Via-Sacra, uma forma de refletir sobre os últimos acontecimentos da vida de Jesus. Esses jantares normalmente costumavam vibrar com a atividade de voluntariado por parte de paroquianos, crianças correndo e adultos conversando. Mas as igrejas cancelaram esses eventos este ano devido a preocupações sanitárias.

A Igreja Católica do Espírito Santo em Annandale, Virgínia cujos paroquianos mais velhos preparavam uma sopa para servir a 250 pessoas todas as sextas-feiras durante a Quaresma — reagiu de maneira intensa aos cancelamentos. Um grupo de meninas entre a 3ª e 12ª séries fez sua voz ser ouvida.

“Elas ligaram e disseram: ‘Estamos irritadas. Não podemos simplesmente não fazer nada’”, disse Renee “Lambie” Renner, diretora de atividades paroquiais. Com o lema “Covid não pode interromper o amor”, as meninas traçaram um plano para coletar e redistribuir com segurança recipientes de sopa de milho, macarrão asiático sabor camarão e outras sopas. Usando protocolos de saúde e distanciamento social, elas distribuíram sopa, muitas vezes trabalhando no frio, na chuva e no escuro.

“O que as pessoas estão perdendo nesta temporada é estar na comunidade e em contato com as pessoas”, disse Dunn, da Igreja Metodista Unida.

A determinação das meninas da Igreja Católica do Espírito Santo é prova. Quando os idosos entregaram as doações de sopa, muitos disseram: “Eu sei que não estamos juntos, mas vejam bem, é bom fazer algo normal”, relata Renee.

Aulas da Semana Santa

As atividades da Quaresma culminam com a Semana Santa, que este ano começa com o Domingo de Ramos em 28 de março e vai até a Páscoa em 4 de abril. Normalmente, a Semana Santa está repleta de celebrações extras e os bancos da igreja estão repletos de pessoas.

 Mulher carregando cajado com flores e folhas de palmeira entre um grupo de pessoas (© Jessica Rinaldi/The Boston Globe/Getty Images)
Paroquianos partem após a missa do Domingo de Ramos de 2017 na Igreja de Santa Rosa de Lima em Chelsea, Massachusetts (© Jessica Rinaldi/The Boston Globe/Getty Images)

Em breve, muitas igrejas Metodistas nos EUA oferecerão kits da “Semana Santa em uma caixa”. Os kits incluem orações, artesanato e receitas para que as famílias possam celebrar a semana em suas próprias casas.

Curry disse que a combinação do novo coronavírus com a conscientização racial que abalou o país no ano passado também causou mudanças em corações. “As pessoas estão concentrando suas doações em causas sociais que nos ajudam a nos tornar uma sociedade mais justa”, disse ele.

As celebrações da Quaresma podem reorientar os cristãos, disse Curry, relatando a história do Novo Testamento de Jesus caminhando sobre as águas em direção a seus discípulos, que estavam em um barco e lutavam contra ventos perigosos. “Isso é o que a Quaresma está tentando nos ensinar a fazer andar sobre as águas em uma tempestade, que é sinônimo do que a vida geralmente representa”, disse ele.

* site em inglês