Cúpula de Líderes EUA-África: uma parceria crescente

A África é um importante ator geopolítico e possui algumas das economias que mais crescem no mundo.

De 13 a 15 de dezembro, o presidente Biden sediará a Cúpula de Líderes EUA-África*. O evento de três dias em Washington reunirá líderes de todo o continente africano a fim de discutir maneiras ousadas e práticas de fortalecer os laços e promover prioridades compartilhadas.

“Estou ansioso para trabalhar com governos africanos, a sociedade civil, comunidades da diáspora nos Estados Unidos e o setor privado visando continuar fortalecendo nossa visão compartilhada para o futuro das relações entre os EUA e a África”, disse o presidente dos EUA.

Como sublinhou o secretário de Estado, Antony Blinken, durante sua viagem à África em agosto, o continente “moldou nosso passado, está moldando nosso presente e moldará nosso futuro”.

EUA: um parceiro confiável

Antony Blinken in store holding shirt and smiling at another man (© Andrew Harnik/AP Images)
Secretary of State Antony Blinken with jeans designer Tshepo Mohlala in Johannesburg, South Africa, August 7 (© Andrew Harnik/AP Images)

A Cúpula incluirá sessões envolvendo:

Durante o Fórum Empresarial EUA-África* da Cúpula, chefes de Estado africanos e líderes empresariais e governamentais dos EUA e da África discutirão maneiras de promover parcerias mutuamente benéficas visando criar empregos e impulsionar o crescimento inclusivo e sustentável.

Na Cúpula, Biden promoverá os investimentos e parcerias confiáveis* e estáveis que os Estados Unidos têm a oferecer que permitem que empresas na África e nos EUA floresçam.

Desde junho de 2019, o governo dos EUA ajudou a fechar mais de 800 acordos bidirecionais comerciais e de investimento em 45 países africanos, no valor estimado de US$ 50 bilhões em exportações e investimentos.

Esses acordos foram implementados por meio da África Próspera, iniciativa dos EUA que aproveita os serviços e recursos de 17 agências governamentais dos EUA com o intuito de aumentar o comércio e o investimento bidirecionais entre os Estados Unidos e países africanos.

Gráfico com informações econômicas em texto sobre foto do mercado de ações com o logotipo da iniciativa África Próspera (África Próspera)
(África Próspera)

Parcerias valiosas

Os Estados Unidos e países africanos têm estabelecido parcerias de várias maneiras para enfrentar os desafios globais e darão continuidade a essas relações durante a Cúpula. Dentre alguns destaques atuais estão:

Mudanças climáticas: A África sofre o impacto das mudanças climáticas: 16 dos 20 países mais vulneráveis ao clima estão na África Subsaariana. Como parte do Plano de Emergência do Presidente para Adaptação e Resiliência (Prepare, na sigla em inglês) do governo Biden, os EUA se unem a países e comunidades africanas para proteger contra as mudanças climáticas sua infraestrutura, sua água, sua saúde e seus sistemas alimentares.

Saúde global: Os parceiros dos EUA em todo o continente africano por meio de programas como o Plano de Emergência do Presidente dos EUA para Combate à Aids (Pepfar) e a Iniciativa do Presidente de Combate à Malária (PMI). Os investimentos entre os EUA e a África têm ajudado a fortalecer os sistemas de saúde, a aumentar a resiliência econômica e a enfrentar a pandemia da Covid-19, a varíola, o ebola e outras ameaças à saúde pública. Os EUA já doaram mais de 194 milhões de doses de vacinas* para países da África Subsaariana em parceria com o Acesso Global a Vacinas contra a Covid-19 (Covax) e o Fundo Africano de Aquisição de Vacinas.

Man gathering eggs from chickens in large henhouse (© Richaela Primus/Africa Lead/Feed the Future)
Eugene Kavishe, the owner of Vonkaby Agro Company Limited in Morogoro, Tanzania, has worked with the U.S.’s Feed the Future program to expand and improve his business operations. (© Richaela Primus/Africa Lead/Feed the Future).

Segurança alimentar: O governo dos EUA trabalha com governos locais e organizações agrícolas em todo o continente visando reduzir a fome global e investir em resiliência e inovação agrícola. Um programa dos EUA, chamado Alimentar o Futuro, recentemente expandido na África, e agora 16 dos atuais 25 países desse programa estão na África Subsaariana.

“Há muito mais para as nações africanas e os Estados Unidos fazerem juntos em tantos campos, incluindo alguns que talvez ainda não tenhamos descoberto”, disse o secretário Blinken. “Como parceiros, esse horizonte é nosso para desbravarmos.”

* site em inglês