Décadas depois, o presente do Japão para os EUA ainda é muito frequentado

Cada vez que as pessoas assistem a concertos, peças de teatro e outras apresentações no Teatro The Terrace em Washington, elas são lembradas da generosidade do governo do Japão e de seu povo.

Em reconhecimento ao bicentenário dos EUA em 1976, os japoneses presentearam os americanos com um cheque de US$ 3 milhões para construir esse teatro na cobertura do Centro de Artes Performáticas John F. Kennedy.

O The Terrace passou por uma renovação ao longo de um ano e, durante a temporada de outubro e novembro, o teatro comemora sua reabertura com obras de arte e apresentações que homenageiam o Japão.

Música e dança

Mulher tocando koto (Margot Schulman)
O koto, instrumento musical nacional do Japão, tem 13 cordas que se ajustam a mudanças de tom e são tocadas com três palhetas de dedos (Margot Schulman)

A apresentação “Conexões Japonesas” de 18 de outubro teve como destaque dois artistas japoneses inovadores: o dançarino de sapateado Kazunori Kumagai e a musicista Yumi Kurosawa, aclamada solista de koto, instrumento de corda tradicional japonês.

“Estou muito honrada em fazer parte desta noite especial”, disse Yumi. “O Teatro The Terrace mostra o que pode ser feito quando dois países compartilham o gosto pelas artes.” O The Terrace é o quarto e menor local para eventos do Centro John F. Kennedy, com menos de 500 lugares. Oferece um ambiente íntimo com acústica de qualidade superior.

Fileiras de assentos de teatro (Scott Suchman)
O interior do recém-renovado Teatro Terrace no Centro John F. Kennedy, fotografado em outubro de 2017 (Scott Suchman)

Arte têxtil

Mulher de pé ao lado de grande leque de papel aberto (Margot Schulman)
A artista têxtil japonesa Reiko Sudo leva sua exposição “Azul Fantasia no Japão” para o salão principal do Centro John F. Kennedy (Margot Schulman)

Para coincidir com a renovação do teatro, a artista têxtil japonesa Reiko Sudo está mostrando seu trabalho na sala principal do primeiro nível do centro.

Para o evento “Azul Fantasia no Japão”, Reiko forrou com tecido 115 leques abertos e de grande porte. Cada leque foi tingido para corresponder a um dos 46 tons de índigo japonês, corante natural derivado de plantas. O número é uma homenagem que Reiko presta pelos 46 anos do presidente dos EUA John F. Kennedy, cujo nome foi dado ao centro.

Os leques abertos, que estarão em exibição até 12 de novembro, simbolizam a boa fortuna “espalhada” e exibem a arte japonesa de dobrar papel.