A Califórnia lutou contra a poluição do ar e ganhou. A fim de alcançar isso, o estado usou estas armas: novas tecnologias, leis estaduais e locais, e incentivos econômicos para seus residentes e empresas.

Hoje a Califórnia representa um modelo para governos nos EUA e ao redor do mundo cujo ar é poluído. Sua história é um exemplo de ação local visando a solução de problemas com uma agilidade maior do que acontece com as políticas nacionais.

À medida que a cidade de Los Angeles expandia após a Segunda Guerra Mundial e o número de pessoas e veículos motorizados aumentava, seus residentes passaram a ter dificuldade para respirar. Os olhos ardiam. Os pulmões tinham a sensação de que queimavam. As pessoas adoeciam. Não era apenas Los Angeles. A smog (mistura de neblina com poluição) penetrava no Vale Central da Califórnia e percorria todo o litoral do estado, circundando outras cidades e subúrbios.

Uma das primeiras medidas adotadas pela cidade foi proibir a incineração de lixo aberto, outrora comum em todos os quintais. À medida que novas tecnologias automotivas eram desenvolvidas, o estado impôs conversores catalíticos e combustível sem chumbo para carros. Os padrões de qualidade de ar foram fixados inicialmente em 1959, e as localidades começaram a monitorar a qualidade do ar e a reportá-la aos residentes em cidades em todo o estado.

Foto histórica de cidade encoberta pela poluição (© AP Images)
Mesmo em 1958, Los Angeles frequentemente tinha dias poluídos (© AP Images)

Isso aumentou a conscientização dos cidadãos. Dias normais de “alerta vermelho” — quando as crianças não podem brincar a céu aberto, e quando não se aconselham as atividades ao ar livre para todas as pessoas, e se aconselha que os idosos permaneçam dentro de casa — levaram os residentes a partir em defesa de políticas de ar puro. À medida que as pessoas aprendiam mais sobre a poluição do ar e seus efeitos sobre a saúde, as autoridades revisavam os padrões relativos à qualidade do ar e introduziam mais medidas para reduzir a poluição. A partir da década de 1960 em diante, padrões mais rigorosos de emissão automotiva, testes de emissões, melhores dispositivos antipoluição atmosférica e combustíveis para veículos melhoraram a qualidade do ar.

A tecnologia do século 21 fez com que a energia se tornasse renovável e as práticas de construção mais ecológicas, viáveis. As seguintes práticas se tornaram incentivos bem-sucedidos: reduções de impostos* federais e estaduais para construções comerciais e residenciais que respeitassem o meio ambiente, instalações de energia solar e veículos elétricos* ou híbridos. Embora sérias questões relativas à poluição do ar permaneçam — o ozônio troposférico ainda é elevado — atualmente, o ar de Los Angeles é mais limpo e as pessoas mais saudáveis*.

O centro da cidade com montanhas ao fundo (© AP Images)
Hoje a qualidade do ar de Los Angeles está muito melhor, e a vista das montanhas San Gabriel próximas da cidade é clara (© AP Images)

Uma abordagem saudável

V. Ramanathan, que dirige o Centro de Ciências Atmosféricas no Instituto de Oceanografia Scripps, da Universidade da Califórnia, em San Diego, disse recentemente a planejadores de energia limpa da Índia e dos EUA que de 1990 a 2010 as emissões da Califórnia aumentaram apenas 4% em virtude de políticas visando a descarbonização. Concomitantemente, acrescentou, a população aumentou cerca de 30% e o PIB cresceu em torno de 54%.

“Isso derruba todos os argumentos que você ouve dos céticos, de que a descarbonização vai arruinar a economia. A Califórnia diz: “Não” (…) e a economia cresceu” — adicionando 100 mil empregos, afirmou.

Modelo para o país e o mundo

“A Califórnia tem um status especial”, afirmou Rashid Shaikh, do Instituto de Efeitos à Saúde. O estado é capaz de coordenar os níveis de governo, do âmbito local ao nacional, e ajudou a moldar as políticas eficazes em âmbito nacional — pois as políticas da Califórnia funcionam. Shaikh citou evidências obtidas de estudos recentes* que diminuíram a poluição do ar resultante de tecnologias de diesel limpo e melhoraram a saúde nos bairros mais afetados pelo problema.

Infográfico: porcentagem da geração total de eletricidade a partir de fontes renováveis, 2012 (Next 10)
Fonte: Índice de Inovação Verde da Califórnia. Dados da Comissão de Energia da Califórnia e da Adminstração de Informações sobre Energia dos EUA. Análise feita por Collaborative Economics.

Next 10*, empresa fundada pelo capitalista de risco F. Noel Perry para focar na “interseção entre a economia, o meio ambiente e a qualidade de vida”, fornece dados que inspiram novas medidas. Seu Índice de Inovação Verde de 2015*, ao comparar a Califórnia a países que estão entre os maiores emissores de gases de efeito estufa, coloca o estado entre os dez principais por seu uso de energia sustentável e em penúltimo lugar no quesito emissões de carbono.

E o Conselho de Recursos do Ar da Califórnia*, em seu mais recente inventário de emissões de gases de efeito estufa*, mostra que o estado está no caminho certo para reduzir as emissões para os níveis de 1990 até 2020.

Olhando para frente

Close de Matt Petersen sorrindo (Cortesia: Matt Petersen)
Matt Petersen é o chefe de Sustentabilidade de Los Angeles (Foto: cortesia)

Embora a cidade de Los Angeles e o estado da Califórnia possam se orgulhar de seu progresso, a qualidade do ar de Los Angeles permanece a pior dos EUA. Mesmo assim, Matt Petersen, chefe de Sustentabilidade da cidade, está otimista. Ele planeja usar a mais nova tecnologia para tornar ainda mais ecológicos os tubos de escape dos veículos, as fontes de energia, a construção civil e o comportamento das pessoas. E as metas do plano de sustentabilidade da cidade de 2015 incluem a eliminação de carvão por completo e um aumento de 50% do número de veículos não poluentes até 2025.

Petersen, que anteriormente era executivo-chefe da Global Green USA*, viajou pelo mundo inteiro para compartilhar lições aprendidas pela Califórnia. Ele aconselha os bairros a fazerem parceria com outras jurisdições locais, com empresas e organizações não governamentais para limpar o ar. Quando perguntado o que rapidamente melhora a qualidade do ar, ele cita estas soluções:

  • Eliminar os motores de dois tempos — como cortadores de grama e sopradores de folhas.
  • Substituir caminhões de diesel poluentes** por motores ​de combustão mais limpa.
  • Impor restrições de tráfego em dias de poluição atmosférica mais densa.
  • Monitorar a qualidade do ar e informar o público a respeito.

Enquanto as autoridades da Califórnia colaboram com outros países — inclusive o Canadá, a China, a Índia* e o México — para enfrentar desafios ambientais, elas defendem que as políticas ambientais atraem empreendedores e investidores. E isso produz novos empregos e um ar melhor para respirar.

*site em inglês