“Os americanos são um povo extraordinariamente filantrópico. Eles fazem sacrifícios reais em favor do bem-estar público; e tenho notado uma centena de casos em que eles quase nunca deixaram de apoiar verdadeiramente uns aos outros”, escreveu Alexis de Tocqueville, observador francês do século 19.

Levando-se isso em conta, Arshia Wajid é uma típica americana. Mesmo aos seis anos de idade, quando visitava seus avós na Índia, Arshia trabalhou como voluntária na clínica médica de seu avô, que atendia muitos pacientes pobres.

Uma vez adulta, Arshia, agora munida de um diploma de mestrado em Administração de Empresas e Saúde Pública, fez trabalho voluntário por um ano como coordenadora da Clínica de Saúde da Rede de Ação Muçulmana em Áreas Carentes* de Chicago. A clínica presta assistência médica primária sem custos para pessoas sem seguro na comunidade.

“Clínicas gratuitas representavam a rede de segurança para esses indivíduos, e eu realmente percebi que como profissional de saúde eu tinha de fazer algo para ajudá-los a ter acesso à assistência médica”, disse ela.

Ela também realizou trabalho voluntário para as organizações Habitat para a Humanidade e Refeições sobre Rodas, e viajou em missões de assistência médica ao Equador, ao Haiti e à Índia.

A religião muçulmana de Arshia reforça sua dedicação ao trabalho voluntário e ao serviço público. “Retribuir à comunidade é parte de nossa religião”, diz ela. “O Islã nos incentiva a sermos participantes ativos da sociedade civil e retribuir às pessoas menos afortunadas e às que são marginalizadas na sociedade.”

Em 2004, ela fundou a organização sem fins lucrativos Profissionais de Saúde Muçulmanos Americanos*, que empodera profissionais de saúde muçulmanos para melhorar a saúde de todos os americanos O grupo se concentra nas seguintes áreas: saúde mental, deficiência e acesso à cobertura para assistência médica.

Arshia Wajid se reúne com o presidente Obama (Casa Branca)

A Casa Branca notou o trabalho de Arshia com o grupo e a incluiu a um grupo de líderes muçulmanos americanos que debateu com o presidente Obama questões que dizem respeito à comunidade muçulmana.

“Foi um privilégio”, afirma ela sobre a reunião com o presidente em fevereiro de 2015.

Arshia Wajid exorta todas as pessoas a dedicar algumas horas por semana, ou mesmo por mês, para contribuir com algo em que acreditam. “É realmente importante que se escolha uma causa pela qual se tenha entusiasmo e contribuir com o tempo que mais lhe convier e que o deixe confortável”, disse ela. “Quer se trate de ajudar os sem-teto, os órfãos, os veteranos ou os deficientes, não há realmente nenhuma escassez de causas com as quais as pessoas podem se envolver.”

*site em inglês