A escoteira mirim de hoje pode se tornar a cientista de amanhã… neste dia

Escoteiras-Mirins demonstram uma “ponte à prova de inundação” para o presidente Obama que foi concebida como parte de uma competição CTEM (AP Images)

Fundada há mais de um século, a organização de escoteiras mirins ajuda meninas em idade escolar a desenvolver o caráter e a aprender sobre a importância do serviço comunitário. Em 31 de outubro, 2,3 milhões de escoteiros e 57 milhões de ex-escoteiros vão comemorar o Dia do Fundador, em homenagem ao dia do nascimento da fundadora das Escoteiras Mirins dos EUA, Juliette Gordon Low.

Embora muitos americanos associem as escoteiras mirins com acampamentos, caminhadas e campanhas de arrecadação de fundos através da venda de biscoitos, as escoteiras se envolvem em muitas outras atividades à medida que avançam na hierarquia que vai desde “Daisy” a “Embaixadora”. Elas também recebem distintivos que marcam conquistas em temas tradicionais, como caminhada e primeiros-socorros, e outros mais modernos que incluem a criação de filmes digitais, a inovação e o web design.

Considerando que 74% das adolescentes expressam interesse em matérias relacionadas a CTEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), a organização adicionou novos distintivos que refletem essas matérias. Anna Maria Chávez, executiva-chefe das Escoteiras Mirins dos EUA, afirmou que a mudança de foco resultou do próprio estudo da organização efetuado em 2012 intitulado Geração CTEM.

Portanto, as escoteiras mirins que vendem biscoitos hoje também podem se tornar as engenheiras ou cientistas de amanhã.