Estrutura gigante com logomarca da Huawei e pessoa em pé na frente faz demonstração de equipamentos (© Mark Schiefelbein/AP Images)
A empresa chinesa de tecnologia Huawei está concorrendo em licitação para obter contratos de 5G, mas ela representa um risco de segurança, segundo os EUA (© Mark Schiefelbein/AP Images)

Redes de quinta geração (5G) vão revolucionar as economias futuras, mas também vão introduzir uma série de riscos significativos. À medida que os países constroem suas redes 5G, eles devem trabalhar com parceiros confiáveis a fim de minimizar esses riscos, declarou um alto funcionário dos EUA.

“Questões de política cibernética são fundamentais não somente para proteger redes de comunicação, mas também para a segurança nacional, os direitos humanos e a prosperidade econômica em todo o mundo”, disse Robert Strayer, diplomata especialista em cibernética, do Departamento de Estado dos EUA, a jornalistas em 29 de abril.

Strayer enfatizou que os EUA estão se engajando com parceiros e aliados a fim de compartilhar preocupações em relação à segurança da infraestrutura e de redes 5G no futuro. Um elemento importante disso é a avaliação cuidadosa da cadeia de fornecimento da rede 5G e dos fornecedores de equipamentos voltados para essa geração de internet móvel.

Torres de telecomunicação (© Sattaya/Shutterstock)
(© Sattaya/Shutterstock)

“Devemos nos preocupar com cada item da rede 5G”, disse Strayer. “Nenhuma parte de uma rede 5G deve ter peças ou software advindos de um fornecedor que possa estar sob o controle de um governo autoritário.”

Se a infraestrutura no coração da 5G — como torres de celular, servidores de redes e softwares essenciais — for controlada por um fornecedor não confiável ou uma potência estrangeira, garante Strayer, eles poderiam fazer qualquer uma destas coisas: “minar a segurança da rede para extrair informações pessoais, realizar espionagem, distribuir ataques cibernéticos e abalar infraestrutura crucial”.

“Quando se trata da Huawei e da ZTE, os Estados Unidos têm sido bem claros: não acreditamos que uma pessoa possa ter [essa] tecnologia em seus sistemas e ainda ter uma rede confiável”, disse o secretário de Estado, Mike Pompeo, em 8 de maio se referindo às empresas de tecnologia chinesas que se alinharam estreitamente com o governo chinês.

“Não há como mitigar efetivamente o risco de ter um fornecedor não confiável [mesmo] no perímetro da rede”, disse Strayer.

Olhando para o futuro

Com velocidades de dados mais rápidas e conexões sem fio mais confiáveis, espera-se que a tecnologia 5G seja incorporada em tudo, desde redes elétricas inteligentes a carros autônomos e eletrodomésticos.

“Achamos que os riscos não poderão ser maiores em relação à tecnologia 5G em função de tudo que criarmos nos próximos anos além dessa tecnologia”, disse Strayer à BBC*. “Acreditamos que há um risco inaceitável em permitir que fornecedores não confiáveis ​​proporcionem essa infraestrutura básica porque eles poderiam interferir em qualquer um desses serviços cruciais.”

* site em inglês