Mulher dentro de simulador de nave espacial (© Amir Cohen/Reuters)
Mulher dentro de simulador de espaçonave usa um protótipo de um colete projetado para impedir que certos tipos de radiação espacial atinjam órgãos vitais de astronautas (© Amir Cohen/Reuters)

No espaço sideral, os astronautas precisam de muito mais do que protetor solar para se proteger contra os perigos da radiação. É por isso que a empresa Lockheed Martin Corporation, dos EUA, e a empresa israelense StemRad Ltd. estão produzindo um novo traje com o intuito de limitar a exposição a que os astronautas estão sujeitos.

Radiação é energia, emitida em partículas, ondas e raios em alta velocidade. Pode danificar ou destruir as células e o DNA. Perto da Terra, o campo magnético e a atmosfera do planeta atuam como um escudo contra os tipos mais perigosos de radiação.

Homem gesticula na frente de manequim (© Amir Cohen/Reuters)
Oren Milstein, da StemRad, exibe coletes que protegem astronautas da radiação (© Amir Cohen/Reuters)

Mas a exposição à radiação no espaço é bem diferente da exposição à radiação na Terra, diz Tony Slaba, da Nasa, a agência espacial americana.

Por exemplo, em missões a Marte, os astronautas podem ser atingidos por tempestades de partículas de alta energia ejetadas pelo Sol. As tempestades representam um dos maiores desafios que os humanos enfrentam em missões de exploração de longa distância. (A Nasa planeja retornar à Lua e ir a Marte.)

É aqui que entra o AstroRad, colete da StemRad, com sede em Tel Aviv. Trabalhando com a Lockheed Martin, a empresa desenvolveu uma peça de vestuário composta de multicamadas com o objetivo de combater esse tipo de radiação espacial.

Cada colete é adaptado ao tipo físico de um astronauta, com proteção extra para partes específicas do corpo.

Voando até a Lua

Concepção artística de naves espaciais sobrevoando a Terra (Nasa)
Os coletes da AstroRad devem ser lançados em 2019 ou 2020 (Nasa)

A Nasa e a Agência Espacial de Israel assinaram um acordo em abril para o uso do colete da AstroRad, que protege contra a radiação.

Em 2019 ou 2020, quando houver o lançamento da nova sonda Orion da Nasa acoplada ao foguete mais poderoso que o homem já construiu, haverá a bordo dois manequins. O AstroRad será testado em um deles, a fim de avaliar o nível de proteção. Posteriormente, os cientistas irão comparar os dados obtidos a partir dos dois manequins: o que usava o colete e o que não.

A flexibilidade do colete será testada nas próximas missões à Estação Espacial Internacional.

“Estamos orgulhosos de trabalhar com a Nasa, a Lockheed Martin e nossos outros parceiros ao proporcionar uma peça essencial para equipamentos de segurança, ajudando a iniciar uma era de exploração do espaço sideral”, disse Oren Milstein, fundador e diretor-executivo da StemRad.