EUA têm raízes profundas em práticas de reflorestamento

O presidente Trump anunciou recentemente que os Estados Unidos participarão da Campanha Um Trilhão de Árvores*, movimento que visa plantar, restaurar e proteger esse número de árvores em todo o mundo.

Ao prometer o envolvimento dos EUA na campanha internacional, o presidente se baseia em uma longa tradição de reflorestamento por parte Estados Unidos, que já plantaram mais de 13 bilhões de árvores.

“Estamos comprometidos em conservar a criação da majestade de Deus e a beleza natural do nosso mundo”, disse Trump no início deste ano no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.

As árvores são uma parte importante no combate às mudanças climáticas porque absorvem e armazenam dióxido de carbono à medida que crescem. Um trilhão de árvores poderiam capturar 25% de todas as emissões de dióxido de carbono produzidas pelo homem. Isso ajudaria a manter o aumento da temperatura global a menos de 2 graus Celsius, de acordo com o Plant-for-the-Planet* (Plante pelo Planeta, em tradução livre), grupo que está por trás da campanha.

Ilustração animada de árvores que crescem em colinas gramadas (Depto. de Estado/B. Insley)
(Depto. de Estado/B. Insley)

Uma tendência crescente

A Campanha Um Trilhão de Árvores vai acelerar a longa tradição dos EUA de reflorestar.

Em 1920, os Estados Unidos possuíam 292 milhões de hectares de terras florestais, de acordo com o Serviço Florestal dos EUA. Em 2016, os EUA possuíam 304 milhões de hectares de terras florestais cobrindo cerca de um terço do país.

Essa terra varia de florestas boreais (com altas latitudes e temperaturas frias) no Alasca a plantações de pinheiros na parte sul dos Estados Unidos. A maioria das florestas está situada na parte ocidental do país.

Uma fileira de homens se curvando e plantando sementes (© AP Images)
Trabalhadores do Corpo de Conservação Civil plantam 15 milhões de árvores no sul do Mississippi em 1940 (© AP Images)

Os programas de reflorestamento têm sido uma parte crucial do gerenciamento de recursos desde antes da criação do Serviço Florestal em 1905. O gerenciamento federal das florestas remonta a 1876, quando o Congresso lançou o Escritório de Agente Especial no Departamento de Agricultura dos EUA para avaliar as condições das florestas.

Logo depois, a Lei da Administração Orgânica de 1897 estabeleceu a criação de florestas nacionais e as melhorou e protegeu, garantindo condições favoráveis ao fluxo contínuo de água e ao fornecimento constante de madeira.

Os programas de plantio de árvores que começaram nas florestas nacionais no início dos anos 1900 restabeleceram as mudas de árvores após incêndios em massa.

A Lei Knutson-Vandenberg de 1930 estabeleceu a plantação de viveiros florestais, tornando obrigatório para os compradores de madeira fazer depósitos a fim de cobrir o custo do reflorestamento e trabalhos relacionados dentro dos limites de venda. Noventa anos depois, essa lei ainda garante que as necessidades de reflorestamento sejam atendidas nas áreas de venda de madeira.

A visão de longo prazo é importante no reflorestamento, e a Campanha Um Trilhão de Árvores ajudará o reflorestamento dos EUA a se fortalecer ainda mais nos próximos anos.

* site em inglês