Ignorando o regime, EUA entregam remédios vitais a iranianos

Mulher e criança com medicamento intravenoso jogam cartas de baralho (© Ebrahim Noroozi/AP Images)
Os iranianos que sofrem de câncer, como este menino em Teerã em 2019, terão melhores chances de obter medicamentos que salvam vidas, como parte de um novo canal dos EUA que fornece suprimentos médicos (© Ebrahim Noroozi/AP Images)

Os EUA estão garantindo que medicamentos para o tratamento do câncer e outros que salvam vidas cheguem a pacientes iranianos. Isso integra um esforço mais amplo que visa apoiar iranianos comuns e contornar a corrupção sistêmica e a má gestão financeira do regime iraniano.

O canal, desenvolvido em cooperação com o governo suíço, já entregou pelo menos 180 mil embalagens de remédios ao Irã.

“Os pacientes iranianos com câncer e os que fizeram transplante agora estão recebendo tratamentos cruciais através deste novo canal”, disse o representante especial dos EUA para o Irã, Brian Hook, a repórteres em 30 de janeiro, enquanto explicava o novo canal humanitário que faz uso de transações financeiras a fim de fornecer medicamentos vitais.

“Enquanto trabalhamos para fornecer remédios ao povo iraniano, o regime não realiza nenhum esforço semelhante a esse”, disse Hook.

Tuíte:
Embaixada da Suíça no Irã: Hoje, cerca de 180 mil embalagens de medicamentos para transplante – parte da transação-piloto que integra o Acordo de Comércio Humanitário Suíço (SHTA, na sigla em inglês) – chegaram ao Aeroporto Internacional Imã Khomeini de Teerã (IKA). Graças a um forte mecanismo de devida diligência, o SHTA garantirá que os produtos cheguem a pacientes iranianos. @SwissEmbassyIr

Os EUA estão utilizando sanções econômicas para impedir o regime iraniano de financiar o terrorismo e reduzir a capacidade que o regime tem de apoiar grupos violentos que agem como mandatários no Oriente Médio. Os EUA não aplicaram sanções a suprimentos médicos, produtos agrícolas, dispositivos de comunicação pessoal ou ajuda humanitária destinada ao povo iraniano.

O regime desviou mais de US$ 1 bilhão que seriam usados para comprar suprimentos médicos que nunca chegaram aos pacientes, disse Hook. Ele citou uma carta redigida no ano passado pelo principal assessor do presidente iraniano, Hassan Rouhani, buscando uma explicação para o roubo. Milhões de dólares adicionais destinados a suprimentos médicos foram gastos em cabos elétricos, papel para cigarro e tabaco, disse Hook.

Hook também disse que o novo canal conseguiu fornecer ao povo iraniano os suprimentos de que eles precisam, embora outros esforços tenham falhado. O Instrumento Europeu de Apoio às Trocas Comerciais (Instex, na sigla em inglês) ainda não forneceu suprimentos médicos a pacientes iranianos.

O secretário do Tesouro, Steven T. Mnuchin, disse em comunicado: “Os Estados Unidos estão determinados a garantir que o povo iraniano tenha acesso a alimentos, remédios vitais e outros bens humanitários.”

Gráficos mostram o que faz e o que não faz parte das sanções contra o Irã (Depto. de Estado)
(Depto. de Estado)