Em meio a uma chuva de granadas de agente lacrimogêneo, um grupo de policiais tunisianos invade uma sala ocupada por terroristas e salva um refém, enquanto altas autoridades americanas e jordanianas observam de uma galeria em um andar superior.

Esse exercício simulado ocorreu em março na inauguração de um centro de treinamento financiado pelos EUA localizado próximo a Amã, capital da Jordânia. A nova Academia de Treinamento Gendarmerie, da Jordânia, construída e equipada pelo Programa de Assistência de Combate ao Terrorismo do Departamento de Estado dos EUA, fica dentro de um grande centro de treinamento policial operado pela Jordânia. Instrutores americanos oferecem treinamento tático para policiais do Oriente Médio além de outras regiões.

“A Jordânia é um dos nossos mais fortes parceiros no combate ao terrorismo, e sua parceria inabalável fornece um pilar de estabilidade na região”, diz Sam Pineda, funcionário do escritório do Departamento de Estado que financia e fornece orientação política para o programa. Ele diz que a Jordânia “tem contribuído significativamente para os esforços dos EUA visando avançar as capacidades de combate ao terrorismo por parte das agências de aplicação da lei de outros países”.

Os componentes das novas instalações dos EUA incluem:

  • Shoot house (centro de treinamento tático) — labirinto de salas onde policiais praticam abrir portas de maneira abrupta, resgatando reféns e identificando e neutralizando adversários rapidamente.
  • Três faixas destinadas a tiro ao alvo e uso de explosivos para fins de treinamento.
  • Ambiente urbano simulado para realizar exercícios de treinamento tático.
  • Curso de medicina tática que ensina como estabilizar os feridos em um ataque terrorista.
  • Curso de investigação pós-explosão que ensina como coletar provas de locais onde ocorreram explosões para fins de avaliação forense.
Três pessoas com capacetes e coletes à prova de balas de frente para outra pessoa (© Raad Adayleh/AP Images)
Policiais tunisianos recebem treinamento em armas táticas de ponta de instrutores dos EUA (© Raad Adayleh/AP Images)

Parceria de longa data

A Jordânia participa do Programa de Assistência de Combate ao Terrorismo dos EUA há 30 anos. O Centro Internacional de Treinamento da Polícia da Jordânia, inaugurado em 2008, também é apoiado pelos EUA.

Até o momento, o Programa de Assistência de Combate ao Terrorismo dos EUA já ministrou mais de 400 cursos para cerca de 7.200 policiais jordanianos e cerca de 1.900 oficiais de outros países.

O programa forneceu mais de US$ 40 milhões em armas, veículos de resposta, cães farejadores para detecção de explosivos e equipamentos antiterrorismo para os jordanianos.

A adição da nova academia de treinamento duplica a capacidade de treinamento tático de policiais do programa dos EUA na Jordânia.

“A Jordânia se tornou um centro de treinamento regional onde o Departamento de Estado treina não apenas a polícia jordaniana, mas também a polícia de pelo menos outras 21 nações. Além disso, a Jordânia é líder regional da Coalizão Global para Derrotar o Estado Islâmico. O país interditou várias conspirações terroristas e impediu a entrada de explosivos através de suas fronteiras”, diz Pineda.

Cinquenta e seis países foram aprovados para enviar seus policiais a fim de obter treinamento na Jordânia. Participantes de Chade, Líbano, Tadjiquistão, Argélia, Tunísia e Paquistão, por exemplo, receberam treinamento dos EUA para detectar, deter e desbaratar atividades terroristas.

“Após 30 anos de parceria, o programa continua a crescer”, diz Paul Davies, funcionário do Departamento de Estado com foco em assistência antiterrorista. Ele disse que o programa evolui para atender às necessidades de seus parceiros estrangeiros a fim de combater ameaças terroristas e desafios de segurança em constante mudança.