Laços familiares de Biden mostram vínculo entre cidades na Pensilvânia e na Irlanda

Homem abrindo garrafa de champanhe ao lado de um grupo de pessoas em uma rua com um mural de Joe Biden ao fundo (© Charles McQuillan/Getty Images)
Para comemorar a eleição presidencial de Joe Biden, Joe Blewitt, primo de Biden, abre uma garrafa de champanhe com familiares reunidos próximos a um mural de Biden em Ballina, Condado de Mayo, Irlanda, em 7 de novembro de 2020 (© Charles McQuillan/Getty Images)

Scranton, no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, e Ballina, no Condado de Mayo, na Irlanda, têm algumas coisas em comum. Uma delas são os laços familiares de trabalhadores irlandeses que vieram para os EUA a fim de escapar da Grande Fome da Batata ocorrida na Irlanda no século 19.

Em Scranton, “muitas pessoas vivem no mesmo quarteirão que suas avós”, disse Paige Gebhardt Cognetti, prefeita da cidade. “Há muitas pessoas que permaneceram e têm contribuído [para a comunidade]. Tanto [Scranton quanto Ballina] foram construídas com base em uma história de orgulho.”

Ballina, cidade com menos de 11 mil habitantes, está localizada na foz do Rio Moy e se autodenomina a capital do salmão da Irlanda.

Agora Scranton e Ballina têm outro vínculo: suas ligações com um presidente dos EUA.

Como muitos residentes nascidos em Scranton (quase um quarto da população é irlandesa-americana), a família do presidente Biden deixou o Condado de Mayo quando a fome e a falta de oportunidades assolaram a ilha. O tataravô de Biden, Edward Blewitt, e o filho de Blewitt, Patrick, se estabeleceram em Scranton e trabalharam como agrimensores.

Quando a família enfrentou tempos difíceis novamente e Biden estava na quarta série do ensino fundamental, seu pai se mudou para Wilmington, Delaware, a trabalho. O futuro presidente passou o resto de sua infância em Delaware, estado que o elegeria para o Senado dos Estados Unidos com a idade mínima exigida constitucionalmente de 30 anos.

Tanto Scranton quanto Ballina estão felizes em acolher Joe Biden de volta. Enquanto a família nuclear de Biden se mudou de Scranton, seus demais familiares permaneceram na cidade. Em razão disso, Biden tem visitado Scranton muitas vezes ao longo dos anos. Em 2016, o então presidente Obama elogiou seu vice-presidente como “menino brigão de Scranton”.

Placa identificando a Rua Joe Biden presa a um poste de madeira próximo à via que leva esse nome (© Ted Shaffrey/AP Images)
A cidade de Scranton mudou o nome da rua em frente à casa em que Joe Biden passou a infância, localizada à direita na foto, a fim de homenageá-lo (© Ted Shaffrey/AP Images)

Como candidato presidencial, Biden passou parte do Dia da Eleição em novembro de 2020 visitando a casa onde passou a infância, feliz por relembrar suas raízes no estado da Pensilvânia, que tem importância no número de votos para o Colégio Eleitoral.

Embora não houvesse votos para serem angariados na cidade irlandesa de Ballina, Biden também viajou para a cidade, mais recentemente como vice-presidente em 2016. Suas visitas lhe deram a oportunidade de interagir com primos distantes e moradores locais que o ajudaram a pesquisar sua genealogia familiar.

E, em 2017, o Condado de Mayo deu à casa de repouso local o nome do filho falecido de Biden, Beau, que morreu de câncer em 2015.

Quando Biden ganhou a Presidência dos Estados Unidos em novembro, seus primos tomaram a iniciativa de reunir seus vizinhos irlandeses e abrir uma garrafa de champanhe na praça da cidade de Ballina, de acordo com o jornal Irish Times. (Para ficar registrado, Biden não é o primeiro presidente com raízes em Ballina. A ex-presidente irlandesa Mary Robinson nasceu na cidade.)

Orgulho compartilhado do outro lado do Atlântico

Mulher segurando bandeira dos EUA em frente a uma loja com uma foto de Joe Biden e uma bandeira dos EUA na vitrine (© Peter Morrison/AP Images)
Catherine Hallahan segura uma bandeira dos EUA em Ballina, Irlanda, antes de uma comemoração da eleição presidencial de Joe Biden em 7 de novembro de 2020 (© Peter Morrison/AP Images)

Por 30 anos, Scranton e Ballina têm se unido por meio de um programa de cidades-irmãs*. Na véspera da posse de Biden em janeiro, as câmaras municipais das duas cidades se conectaram on-line via Zoom e falaram sobre possíveis visitas pós-pandemia.

Não importa a convicção política de alguém, disse Paige Cognetti, prefeita de Scranton. A eleição de um menino local ou de um tataraneto de um menino local representa uma mensagem poderosa, especialmente para as crianças.

“Minha filha vai saber que alguém de sua cidade natal pode ser presidente”, disse ela. “Você realmente pode ser o que quiser.”

* site em inglês