A seguir, uma breve linha do tempo de eventos importantes da história diplomática dos EUA e da Coreia do Norte, com foco em segurança e controle de armas:

1985

Pessoas, algumas de uniforme, em plataforma acima de rio (© Agência Central de Notícias da Coreia/Serviço de Notícias da Coreia/AP Images)
Em setembro de 1985, o líder da Coreia do Norte Kim Il Sung (à esquerda) e seu filho Kim Jong Il (quarto a partir da esquerda) revisaram a construção da represa do Mar Ocidental em Nampho, Coreia do Norte (© Agência Central de Notícias da Coreia/Serviço de Notícias da Coreia/AP Images)

A Coreia do Norte ratifica o Tratado de Não Proliferação Nuclear em dezembro. Conforme esse acordo multilateral, os países se comprometem a pôr fim à disseminação de armas nucleares e tecnologia e a promover a cooperação pacífica no campo da energia nuclear.

1992

Dois líderes coreanos apertam as mãos (© Asahi Shumbun/Getty Images)
O primeiro-ministro da Coreia do Norte Yon Hyong Muk (à esquerda) e o primeiro-ministro sul-coreano Chung Won-shik trocam documentos de acordos em 7 de maio de 1992, em Seul, Coreia do Sul (© Asahi Shimbun/Getty Images)

A Coreia do Norte e a Coreia do Sul concordam em desnuclearizar a Península Coreana. O tratado proíbe armas nucleares e compromete os dois países a usar a energia nuclear apenas para fins pacíficos.

 

1993

Kang Sok Ju fala a microfones (© Jim Cooper/AP Images)
O vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte Kang Sok Ju em Nova York, em 11 de junho de 1993, onde anunciou que seu país não se retiraria do Tratado de Não Proliferação Nuclear, afinal (© Jim Cooper/AP Images)

A Coreia do Norte rejeita inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica e anuncia sua intenção de abandonar o Tratado de Não Proliferação Nuclear.

Posteriormente, suspende sua retirada do tratado após conversas com diplomatas americanos em Nova York. As primeiras inspeções na Coreia do Norte são finalmente realizadas em março de 1994.

1994

Jimmy Carter e Kim Il Sung sentados juntos. Atrás deles, pessoas em pé (© Agência Central de Notícias da Coreia/AP Images)
O presidente da Coreia do Norte Kim Il Sung (à frente, à direita) se senta com o ex-presidente Jimmy Carter em junho de 1994 (© Agência Central de Notícias da Coreia/AP Images)

Jimmy Carter viaja para a Coreia do Norte em junho e se reúne com Kim Il Sung, fundador e líder do país. Carter é o primeiro ex-presidente dos EUA a visitar a Coreia do Norte. Sua viagem estabelece as bases para um acordo entre a Coreia do Norte e os EUA.

Em outubro, os Estados Unidos e a Coreia do Norte assinam o “Acordo-Quadro”. A Coreia do Norte concorda em congelar a construção de reatores nucleares e a produção de plutônio em troca de ajuda, remessas de combustível e outros benefícios.

2000

Homem e mulher fazem um brinde com taças de champanhe (© Chien-Min Chung/AFP/Getty Images)
O líder norte-coreano Kim Jong Il faz um brinde à secretária de Estado Madeleine Albright em um jantar em Pyongyang, em outubro de 2000 (© Chien-Min Chung/AFP/Getty Images)

Os Estados Unidos e a Coreia do Norte se alternam como anfitriões de viagens beneficentes. Em outubro, Jo Myong Rok, autoridade militar norte-coreana sênior, visita o presidente Bill Clinton em Washington.

No final daquele mês, a secretária de Estado Madeleine Albright voa para Pyongyang e se reúne com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Il, com o intuito de tentar expandir o Acordo-Quadro e preparar uma possível visita de Clinton. Os dois lados não chegam a um acordo sobre uma visita ou novos negócios.

2003 – 2007

Figuras revolucionárias representadas em cartazes dispostos juntos (© David Guttenfelder/AP Images)
Milhares de norte-coreanos viram cartazes para formar uma imagem de figuras revolucionárias durante uma performance de “jogos em massa” em um estádio em Pyongyang em 19 de setembro de 2008 (© David Guttenfelder/AP Images)

Várias rodadas de conversações entre as seis partes, envolvendo Estados Unidos, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Japão, China e Rússia, ocorrem após a retirada da Coreia do Norte do Tratado de Não Proliferação Nuclear em 2003.

Pouco progresso é obtido até fevereiro de 2007, quando a Coreia do Norte concorda em fechar suas instalações nucleares em troca de ajuda de combustível e medidas destinadas a normalizar suas relações com os EUA e o Japão.

2009

Seis homens de terno com as mãos juntas (© Ng Han Guan/Reuters)
Os chefes de seis delegações se reúnem em Pequim em 27 de agosto de 2003, antes das conversações sobre o programa nuclear da Coreia do Norte. Os delegados, da esquerda para a direita, representam Japão, Estados Unidos, Coreia do Norte, China, Rússia e Coreia do Sul (© Ng Han Guan/Reuters)

As conversações entre as seis partes terminam depois que a Coreia do Norte realiza um lançamento anunciado de mísseis, um movimento condenado por unanimidade pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Em resposta à condenação da ONU, a Coreia do Norte se retira das negociações entre os seis países e diz que não estará vinculada a nenhum acordo alcançado nas negociações. A Coreia do Norte expulsa os inspetores nucleares e informa os funcionários da Agência Internacional de Energia Atômica que retomará seu programa de armas nucleares.

2009 – 2018

Kim Jong Un aplaudindo. Soldados atrás dele (© David Guttenfelder / AP Images)
O novo líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, segundo a partir da esquerda, aplaude em Pyongyang após rever o desfile de milhares de soldados comemorando o 70º aniversário do falecido Kim Jong Il em 2012 (© David Guttenfelder/AP Images)

Desde que abandonou as negociações entre os seis países, a Coreia do Norte já disse que vai adotar medidas visando a desnuclearização. Mas continua a realizar testes em violação do Direito Internacional, incluindo três testes nucleares e mais de 40 lançamentos de mísseis balísticos de 2016 a 2017.

 

 

 

2018 – 2019

Kim Jong Un e Donald Trump apertando as mãos em frente de fileira de bandeiras (© Evan Vucci/AP Images)
(© Evan Vucci/AP Images)

Em 12 de junho de 2018, ocorreu o primeiro encontro entre líderes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte em Cingapura. O presidente Trump e o presidente Kim Jong Un assinaram uma declaração conjunta endossando vários objetivos, incluindo a desnuclearização da Península Coreana e o estabelecimento de novas relações entre os EUA e a Coreia do Norte.

Os dois realizaram uma segunda cúpula em Hanói, Vietnã, de 27 a 28 de fevereiro de 2019, e se reuniram brevemente pela terceira vez em 30 de junho de 2019, na Zona Desmilitarizada da Coreia, onde o presidente Trump se tornou o primeiro presidente dos EUA a pisar em solo norte-coreano.