Quando o novo Congresso dos EUA se reunir em Washington em 3 de janeiro de 2017, Catherine Cortez Masto se tornará a primeira latino-americana a servir no Senado, representando Nevada. No Vale do Silício, na Califórnia, Savita Vaidhyanathan é a primeira prefeita indiana-americana de Cupertino.

Hillary Clinton pode ter perdido a disputa para ser a primeira presidente mulher, mas por todo o país, as mulheres nas eleições de 2016 fizeram incursões históricas em todos os níveis de governo: federal, estadual e municipal.

“É impossível negar os progressos substanciais* que as mulheres fizeram recentemente no governo e na política”, diz Jennifer L. Lawless, diretora do Instituto Mulheres e Política da Universidade Americana em Washington.

Em 2017, um número recorde de mulheres de minorias entrará no Senado dos EUA, e há um número maior de legisladoras estaduais. Conheça algumas delas.

Senado dos EUA

Close de Kamala Harris (© AP Images)
Kamala Harris (© AP Images)

Os eleitores da Califórnia elegeram Kamala Harris para o Senado, ex-procuradora-geral da Califórnia e filha de imigrantes da Índia e da Jamaica. Ela é a primeira senadora indo-americana dos EUA* e a primeira senadora negra da Califórnia.

Close de Tammy Duckworth (© AP Images)
Tammy Duckworth (© AP Images)

O Senado também terá o maior número de mulheres ásio-americanas de todos os tempos, como Tammy Duckworth, de Illinois. Ela é veterana militar que perdeu as duas pernas em combate.

Câmara dos Deputados dos EUA

O 115º Congresso inclui seis novas mulheres negras*, elevando o número de mulheres negras a um novo recorde de 34, segundo o Centro de Política e das Mulheres Americanas da Universidade Rutgers em Nova Jersey.

Close de Pramila Jayapal (© AP Images)
Pramila Jayapal (© AP Images)

Pramila Jayapal, ex-senadora estadual do estado de Washington, é a primeira indo-americana na Câmara. Ela nasceu na Índia e chegou aos EUA sozinha aos 16 anos para estudar na Universidade de Georgetown.

Liz Cheney na tribuna (© AP Images)
Liz Cheney (© AP Images)

Wyoming tem uma vaga na Câmara dos EUA, e sua mais recente ocupante tem um nome conhecido. Liz Cheney é a primeira mulher eleita para essa vaga da Câmara, anteriormente ocupada por seu pai, Dick Cheney, que foi vice-presidente do presidente George W. Bush.

Assembleias Legislativas estaduais

Aproximadamente 1.830 mulheres* atuarão nos 50 legislativos estaduais em 2017, segundo a Conferência Nacional de Legislativos Estaduais. As mulheres representam quase 25% de todos os parlamentares estaduais no país, pequeno aumento em relação ao ano anterior.

Ilhan Omar na multidão, aplaudindo (© AP Images)
Ilhan Omar (© AP Images)

Entre elas está Ilhan Omar, a primeira legisladora muçulmana somali-americana de Minnesota. “Isso realmente foi uma vitória para aquela menina de 8 anos do campo de refugiados*”, disse Ilhan à rede pública de rádio National Public Radio. “Foi uma vitória para todas as pessoas que ouviram que havia limites para seus sonhos”, disse Ilhan, diretora de políticas da Women Organizing Women Network, grupo que defende que os imigrantes se tornem cidadãos e líderes participativos.

Também digno de nota: Yuh-Line Niou é a primeira legisladora ásio-americana da Assembleia do Estado de Nova York. Ela nasceu em Taiwan.

Prefeitas

As mulheres representam quase 20% dos prefeitos de cidades com mais de 30 mil habitantes. Uma das mais recentes é Savita Vaidhyanathan, prefeita de Cupertino, cidade onde está sediada a Apple Inc., com população de 60 mil habitantes.

Foto de Savita Vaidhyanathan (© AP Images)
Savita Vaidhyanathan (© AP Images)

“Recebi muitas mensagens me congratulando por eu ser a primeira prefeita de origem indiana”, disse Savita quando foi empossada como prefeita em dezembro de 2016.

“Sim, sinto-me muito orgulhosa e prestigiada por isso, mas realmente quero agradecer aos moradores da cidade de Cupertino que votaram em mim sem considerar a questão da etnia. Obrigada por confiarem em mim, e talvez nós tenhamos quebrado aquele telhado de silício* e colocado algumas rachaduras a mais no telhado de vidro”, disse a ex-professora de Matemática do ensino médio.

Cheyenne, a maior cidade de Wyoming, com 62 mil habitantes, também terá sua primeira mulher no comando com a eleição de Marian Orr, proprietária de sua própria empresa de consultoria política.

* site em inglês