O beisebol, passatempo favorito nos EUA, está mais internacional do que nunca

35

Quando Mpho’ “Gift” Ngoepe, talentoso novato de 27 anos de idade que joga para o Pittsburgh Pirates, foi rebater um arremesso pela primeira vez, ele fez um continente inteiro sentir orgulho. Ele é o primeiro jogador africano a entrar para as grandes ligas do beisebol.

Ele se junta à liga em um momento em que os times da Liga Principal de Beisebol dos EUA têm mais jogadores internacionais do que nunca. Quase 30% dos jogadores no Dia de Abertura nasceram em outros países ou Porto Rico.

Ngoepe é um defensor (infielder) veloz e astuto natural de Randburg, África do Sul, que jogava para times de ligas menores desde 2009.

Jogador de beisebol começa a correr após rebater a bola (© AP Images)
O sul-africano Mpho’ “Gift” Ngoepe consegue acertar a bola em sua primeira tentativa com o taco em favor do time Pittsburgh Pirates em 26 de abril (© AP Images)

 

O beisebol, jogo semelhante ao críquete, que é jogado com um taco e uma bola, foi inventado nos Estados Unidos no século 19. É geralmente chamado de passatempo nacional.

Mas o beisebol não é apenas uma obsessão americana. O esporte tem jogadores e fãs apaixonados por toda América Latina, Japão e Coreia do Sul. E o esporte também aparece em menor escala em outros lugares. China, Itália e Israel estavam entre as 16 nações que competiram no Clássico de Beisebol Mundial 2017, uma vitrine para a natureza e popularidade internacionais do esporte.

Nesta temporada nas ligas principais dos EUA, há 259 jogadores de 19 países e territórios fora dos Estados Unidos. Isso supera o recorde de 246 que se manteve por décadas.

(Depto. de Estado/Sara G. Wilkinson)</p><p style="margin-top: 26px;"> </p><p> Infográfico mostra o número de jogadores de beisebol nos EUA que nasceram em outros países (Depto. de Estado/Sara G. Wilkinson)
(Depto. de Estado/Sara G. Wilkinson)

 

A expansão internacional acontece no momento em que o beisebol retorna como esporte olímpico nos Jogos de Verão de 2020 em Tóquio, após uma ausência de 12 anos.

Nas grandes ligas, o Texas Rangers coloca em campo a maior parte dos jogadores internacionais com um total de 14. Diversos outros times têm mais de 10.

Uma semana antes da estreia de Ngoepe, os Pirates enviaram Dovydas Neverauskas para o monte ou montinho (local onde o arremessador — pitcher — se estabelece) a fim de fazer o arremesso em um jogo, fazendo de Neverauskas o primeiro jogador da grande liga nascido na Lituânia.

De sua parte, Ngoepe se sagrou bem em sua primeira partida na grande liga, marcando um ponto em sua primeira jogada. Os companheiros de equipe que estavam na cabina vibraram alegremente. O shortstop (responsável por defender o lado centro-esquerdo do infield e realizar eliminações na segunda base) Jordy Mercer disse: “Ele está representando 1,62 bilhão de pessoas!”

“Sonhei com isso inúmeras vezes”, disse Ngoepe aos repórteres. “Fez jus a todos os aspectos do sonho que eu tinha quando era criança.”

 

 


Veja como se joga beisebol 

O jogo é disputado sem marcação de tempo e dura nove entradas (innings), ou mais se o placar estiver empatado.

Cada time recebe três turnos de ataque e defesa (outs) por entrada (inning).

Um arremessador (pitcher) arremessa a bola (às vezes a mais de 160 km por hora) em um rebatedor (batter), que tenta dar uma rebatida e correr em torno de quatro bases distribuídas a 27 metros de distância entre si.

Se um jogador da defesa pega a bola no ar ou se um jogador apanha uma bola do chão e a joga em direção da primeira base antes de o rebatedor chegar lá, o rebatedor é eliminado.

Rebatedores que balançam o taco para acertar a bola e erram três vezes ou deixam de acertar a bola na zona de strike são também repreendidos pelo árbitro. Isso se denomina strikeout, ou seja, o arremessador (pitcher) conseguiu três strikes contra um mesmo rebatedor 

Se o pitcher arremessar quatro bolas sem atingir o alvo, ele cede um walk, que consiste na passagem automática do rebatedor para a 1ª base.

Cada jogador que cruza a 4ª base — chamada de home plate — marca um ponto. Se o rebatedor manda a bola para fora dos limites do campo, geralmente a uma distância de 100 a 120 metros, isso é chamado de home run e todos os jogadores que estão na base, mais o rebatedor, automaticamente marcam uma corrida, já que podem correr entre bases sem a preocupação da bola ser posta em jogo.