O crescente respeito por Israel fortalece o Oriente Médio

O secretário de Estado dos EUA, Michael R. Pompeo, diz que a crescente aceitação em relação a Israel beneficia a todos e é fundamental para um Oriente Médio próspero.

“As nações do Oriente Médio e do mundo estão reconhecendo o quanto Israel é perpétuo”, disse Pompeo ao Comitê Americano-Israelense de Assuntos Públicos* (Aipac) em 2 de março, em Washington. “Eles estão começando a reconhecer que quanto mais o Oriente Médio acolher Israel, mais brilhante será seu futuro.”

O secretário mencionou a economia robusta, inovadora e de livre mercado de Israel, onde o empreendedorismo é recompensado.

Pompeo também chamou Israel de um lugar onde todos podem cultuar sua religião livremente, sem medo ou parcialidade. “Uma sociedade israelense que respeita todas as religiões mostra que não há o que temer das minorias religiosas”, afirmou.

Tuíte
Departamento de Estado: Quanto mais o Oriente Médio abraçar Israel, mais brilhante será seu futuro. @SecPompeo @StateDept
#AIPAC2020#AIPACProud  https://t.co/TQ9E5VaSeU pic.twitter.com/TvtTShMf9C

O secretário destacou os gestos de apoio das nações do Oriente Médio dirigido a Israel nos últimos anos, observando que:

  • Em 2018, Omã recebeu o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, para uma visita.
  • No ano passado e pela primeira vez desde 1994, o Bahrein permitiu a visita de jornalistas israelenses.
  • Os Emirados Árabes Unidos tocaram o hino nacional israelense durante um torneio de judô em 2018.
  • Representantes dessas três nações, participaram do anúncio de um plano de paz entre Israel e o povo palestino proferido pelo presidente Trump na Casa Branca.

Enquanto isso, as políticas dos EUA demonstram apoio contínuo. Os EUA reconheceram oficialmente Jerusalém como a capital de Israel em dezembro de 2017 e mudaram a Embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém.

O secretário chamou a República Islâmica do Irã de “o principal Estado patrocinador do antissemitismo no mundo”. Ele denunciou as “declarações envenenadas” dos líderes iranianos contra Israel como uma distração da própria corrupção e da má administração do regime iraniano. Ele também observou que tais declarações são contrárias à orgulhosa história do Irã, que inclui dar santuário aos judeus durante o período do Holocausto.

As sanções dos EUA continuam a privar o regime iraniano do dinheiro que seria usado para apoiar o Hezbollah e outros grupos terroristas que semeiam violência em todo o Oriente Médio.

“O mundo sabe que o nobre povo iraniano não odeia Israel, judeus ou qualquer outro grupo religioso”, afirmou Pompeo. “Quem odeia é o regime preconceituoso e intolerante.”

* site em inglês