Potências europeias culpam o Irã por ataques a campos de petróleo sauditas

Líderes de Reino Unido, França e Alemanha estão se unindo aos Estados Unidos e culpam o regime do Irã pelo recente ataque aos campos de petróleo da Arábia Saudita e pedem ao regime que ponha fim a seu comportamento ameaçador.

“Condenamos com a maior veemência os ataques às instalações de petróleo no território saudita em Abqaiq e Khurais, em 14 de setembro de 2019”, disseram os líderes em um comunicado conjunto* de 23 de setembro divulgado pelo primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson. “Está claro para nós que o Irã é responsável por esse ataque.”

Foto de homem uniformizado ao lado de estruturas danificadas de uma refinaria de petróleo, com a citação de líderes sobreposta (© Amr Nabil/AP Images, Depto. de Estado)

Agora é a hora para adotar um modelo de longo prazo

Os líderes europeus também responsabilizam o regime iraniano de violar promessas passadas relativas ao programa nuclear e apelam para que haja negociações que abordem o comportamento maligno do regime.

“Reiteramos nossa convicção de que chegou o momento de o Irã aceitar negociações sobre um modelo de longo prazo para seu programa nuclear, bem como sobre questões relacionadas à segurança regional, incluindo seu programa de mísseis e outros meios de lançamento [de mísseis]”, disseram os líderes.

Em 20 de setembro, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou o Irã pelo ataque com mísseis de 14 de setembro, o que foi negado pelo regime. O ataque aos campos de petróleo sauditas é o mais recente da campanha de líderes iranianos visando extorquir concessões por meio da violência.

Somente em julho, o regime do Irã violou os limites de armazenamento e enriquecimento de combustível nuclear, ameaçou e apreendeu petroleiros que navegavam pelo Estreito de Ormuz e testou um míssil balístico, desafiando uma resolução do Conselho de Segurança da ONU.

Em discurso à Assembleia Geral da ONU em 24 de setembro, o presidente Trump prometeu dar continuidade à campanha de sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos até que o regime do Irã interrompa sua busca por armas nucleares, encerre seu programa de mísseis balísticos e pare de ameaçar seus vizinhos.

“Todas as nações têm o dever de agir”, disse Trump, exortando outras a participarem do esforço. “Nenhum governo responsável deveria subsidiar a sede de sangue do Irã. Enquanto o comportamento ameaçador do Irã prevalecer, as sanções não serão suspensas; elas serão aumentadas.”

* site em inglês