Professora na Índia pode ganhar US$ 1 milhão e dar conselhos de como fazer investimentos.

Bijal Damani (Cortesia: Bijal Damani)

Bijal Damani era gerente de marketing com um bom salário quando decidiu abandonar seu emprego e recomeçar como professora de Economia. Porém, encontrou novos desafios em seu trabalho na S N Kansagra, maior escola particular em Rajkot, na Índia. Esperava-se que ela empregasse o método de aprendizagem mecânica, que considerava ineficaz, e alguns dos alunos mais velhos eram tidos como insolentes por outros professores.

Em razão disso, Bijal decidiu ensinar habilidades de negócios e de marketing com base na vida real. Ela propôs que seus estudantes planejassem e operassem um bazar público, onde venderiam mercadorias. Eles anunciariam o evento antecipadamente. E garantiriam financiamento e rastreariam os gastos e os lucros, aprendendo habilidades contábeis durante esse processo. Apesar do ceticismo dos administradores da escola, seus estudantes lançaram o Bazar Galaxy (vídeo em inglês) em 2005 a fim de coincidir com um importante festival hindu. Foi essa a primeira boa decisão de marketing que adotaram. A segunda foi obter mercadorias de fornecedores com responsabilidade social e ecológica e fazer a propaganda dessa política.

Depois do bazar, os 28 estudantes participantes relataram lucros e propuseram gastar 8 mil rupias indianas (US$ 133) em uma festa para comemorar. Mas Bijal fez com que eles primeiramente fizessem um cálculo. E aprenderam que “o que eles gastam em uma xícara de café poderia alimentar uma família pobre por uma semana”, disse ela. Foi um momento divisor de águas.

Depois de muitas discussões, os estudantes decidiram investir o dinheiro na educação de estudantes carentes. “Doar o dinheiro suado é o primeiro passo visando a empatia”, Bijal afirmou.

Estudantes não apenas vendem itens no Bazar Galaxy; eles também comercializam e gerenciam produtos (Cortesia: Bazar Galaxy)

A escola hoje acolhe o bazar incondicionalmente como um evento anual e uma parte importante do seu currículo. O projeto evoluiu e passou a envolver cerca de 170 estudantes e a produzir mais de US$ 23 mil em lucros. Desde o seu primeiro ano, o projeto doou US$ 70 mil para pagar pela educação de 1.500 alunas carentes. Outras escolas na região estão interessadas em reproduzir o modelo.

Os estudantes na aula de Bijal também gerenciam portfólios de investimentos virtuais e criam produtos que podem resolver problemas na comunidade local. Eles deixaram para trás as aulas baseadas no método de aprendizagem mecânica. Bijal afirmou que o seu objetivo final é ensinar a inclusão, a empatia e os padrões éticos. “Os valores inculcados durante a idade em que estes estudantes são impressionáveis estarão com eles aonde quer que vão e em tudo o que fizerem”, declarou.

Na verdade, a maioria dos estudantes que era responsável pelo primeiro Bazar Galaxy em 2005 agora são adultos que gerenciam empresas bem-sucedidas ou trabalham como profissionais. E a maioria continua a patrocinar a educação de crianças carentes.

Bijal Damani  é uma das 50 finalistas da edição 2015 do prêmio Professor Global, que concede US$ 1 milhão a um professor que se destaca. Geralmente conhecida como o Prêmio Nobel do ensino, a distinção é aberta a professores de qualquer escola em todos os países do mundo. (Os dois sites acima em inglês, espanhol e outros quatro idiomas.)