Você está no cinema, pronto para curtir o mais recente sucesso de bilheteria de Hollywood. Você conhece os melhores atores, diretores e roteiristas que trabalharam juntos para entretê-lo.

O que você provavelmente não sabe: o Partido Comunista Chinês pode ter forçado o estúdio a substituir personagens, mudar ou omitir recursos visuais e até alterar todo o enredo.

Se você publicar algo na China, o governo censura. Todos os jornais, todos os programas de televisão e até suas postagens pessoais nas redes sociais — tudo pode ser suprimido. Até filmes feitos em outros países.

As regras de censura da China são vagas e aplicadas de maneira inconsistente*. Qualquer coisa considerada anti-China pode ser banida. O mesmo pode acontecer com algo cujo conteúdo viole a visão preferível de moralidade social de um censor. Ou o censor decide de alguma forma que o conteúdo contraria os interesses da China.

Os censores da China obrigam os estúdios a mudar detalhes, alterar personagens e reescrever os principais pontos do enredo.

“Pequim exige rotineiramente que Hollywood retrate a China de uma maneira estritamente positiva*”, disse o vice-presidente Pence em discurso no ano passado. Pequim está “tomando medidas para explorar sua alavancagem econômica e o fascínio de seu grande mercado para aumentar sua influência” sobre os negócios.

Como é a censura chinesa? Para começar, se o seu roteiro incluir o Tibete ou Taiwan, esteja preparado para reescrevê-lo ou seu filme será banido na China. No filme de 1986 “Top Gun: Ases Indomáveis”, o personagem de Tom Cruise usava uma jaqueta de couro com emblemas mostrando as bandeiras do Japão e de Taiwan. Nas imagens divulgadas a partir da nova produção que deu sequência ao primeiro filme, os fãs perceberam que os emblemas não estavam mais lá.

Tuíte:
Mark Mackinnon: Há um novo filme “Top Gun” sendo lançado. E Maverick está usando a mesma jaqueta de couro – sendo que desta vez [a produção] foi aprovada pelo Partido Comunista Chinês. Os emblemas das bandeiras do Japão e de Taiwan não aparecem (a captura de tela à direita é do novo trailer)… @markmackinnon

Os fãs das histórias em quadrinhos Doutor Estranho da Marvel ficaram igualmente surpresos ao saber que o Ancião, personagem tibetano introduzido pela primeira vez em 1963, havia se tornado celta por alguma razão no filme de 2016.

Thanks to China, the Ancient One’s now Irish.

Tuíte:
Geekphilia: O Ancião não é uma mulher inglesa, então por que ele é interpretado por uma?  #TheAncientOne @geekphilia #DoctorStrange #Marvel http://www.geekphilia.com/2016/04/14/the-racial-casting-issue-that-never-goes-away/ … 

“Se você reconhecer que o Tibete é um lugar e que ele é tibetano”, disse um escritor em um podcast sobre cultura, você “corre o risco de o governo chinês dizer: ‘Ei, você conhece um dos maiores países de exibição de filmes do mundo? Não mostraremos seu filme porque você adotou um viés político.’”

E, segundo o Los Angeles Times, as bandeiras chinesas foram substituídas digitalmente pelas norte-coreanas no filme de 2012 “Amanhecer Violento”.

“A MGM tem trabalhado com o diretor e os produtores do filme ‘Amanhecer Violento’ para tornar a versão mais comercialmente viável do filme para o público em todo o mundo”, disse Mike Vollman, vice-presidente executivo de Marketing Mundial da MGM, ao L.A. Times.

O Partido Comunista “pune estúdios e produtores” que não retratam a China de maneira positiva, disse Pence. “Os censores de Pequim são rápidos em editar ou proibir filmes que criticam a China, mesmo que seja nos detalhes.”

* site em inglês