Os 1 milhão de estudantes internacionais que frequentam universidades americanas entendem a importância da parte acadêmica. Mas para um atleta estudante japonês, o domínio da arte de fazer lances livres e driblar uma bola de basquete também valeu muitíssimo a pena.

Yuta Watanabe, terceiranista na Universidade George Washington, é o primeiro jogador de basquete do Japão a receber uma bolsa de estudos integral para atletas em uma grande universidade dos EUA. O pivô de 22 anos de idade ajudou seu time a vencer um torneio nacional de prestígio no segundo trimestre passado e sonha em jogar para a Associação Nacional de Basquete (NBA).

María Chong: Yuta Watanabe, fichar. @RMBaloncesto @mcchong25

Watanabe é um pivô de dois metros de altura, natural da província de Kagawa. Ele recebe uma bolsa de estudos completa, além de alojamento e alimentação.

Ele está entre os quase 16 mil atletas estudantes internacionais que frequentam faculdades americanas após receberem uma bolsa de estudos para atletas. Por serem jogadores dos EUA, eles devem cumprir as normas acadêmicas, mas as faculdades oferecem ajuda com o aprendizado de inglês.

Os treinadores americanos recrutam atletas por toda a parte para os seguintes esportes: atletismo, tênis, natação, hóquei no gelo, golfe, voleibol, dentre outros.

A destreza no basquete está no sangue da família Watanabe. Tanto seu pai quanto sua mãe foram profissionais no esporte. E o filho deles, que já foi chamado de “o escolhido” pelo jornal Japan Times, tem um enorme número de seguidores em seu país. E a revista Sports Illustrated usou essa expressão e a tornou famosa em uma história de capa sobre LeBron James, que à época tinha 17 anos de idade e era apontado como futura estrela da NBA.

Asian American Legal: A estrela do basquete da Universidade George Washington, Yuta Watanabe, nascido no Japão, afirma: “É muito legal para a comunidade asiática.” #Asian http://nyti.ms/1xXpefG

A estrela do basquete da Universidade George Washington, Yuta Watanabe, nascido no Japão, afirma: “É muito legal para a comunidade asiática.” #Asian http://nyti.ms/1xXpefG

“É legal. E me deixa empolgado”, disse Watanabe.

Patricio Garino, que se formou recentemente pela Universidade George Washington, integrou a equipe da Argentina nos Jogos Olímpicos de Verão no Rio. O Japão sediará os Jogos Olímpicos de 2020, e Watanabe gostaria de ter a chance de jogar contra Garino em uma disputa entre Japão e Argentina em Tóquio.

Para se juntar aos 100 jogadores internacionais das listas da NBA, Watanabe entende que precisa adicionar massa muscular a seu físico de 89 kg.

Seu conselho para jovens atletas: “Continuem trabalhando duro. Agora, eu me divirto morando nos Estados Unidos, mas também passei por muitos momentos difíceis, especialmente quando cheguei pela primeira vez e não sabia falar inglês. Preparem-se, física e mentalmente.”

Obviamente, é a parte acadêmica, não a atlética, que representa o verdadeiro atrativo para estudantes internacionais. Você quer se formar em Ciência, Engenharia ou uma miríade de outros campos nos Estados Unidos? Saiba mais sobre a vida nas universidades dos EUA e acesse o site EducationUSA* para planejar seus estudos.

Uma versão deste artigo foi publicada em 14 de novembro de 2016.

* site em inglês com opção de tradução automática para vários idiomas