Mulher sentada no chão (© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)
Juliana Brown Eyes-Clifford, da tribo dos oglala lacotas, fundou uma banda e procura inspirar jovens índios a conhecer as artes (© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)

Quinze anos depois de uma intercambista italiana ter conhecido uma índia americana em uma escola secundária dos EUA, as duas se juntaram para criar retratos fotográficos de índios americanos que exploram a vida moderna moldada pela cultura indígena. A fotógrafa italiana Carlotta Cardana e a escritora americana Danielle SeeWalker se conhecem desde que Carlotta foi para Nebraska como intercambista e foi apresentada à Danielle, membro da tribo sioux de Standing Rock.

A série de fotografias Projeto Estrada Vermelha retrata índios americanos dedicados a trilhar “o bom caminho” — conceito indígena de como se deve viver, com base em ensinamentos espirituais de várias tribos. “Todas as pessoas que conhecemos e fotografamos seguem essa ‘estrada vermelha’ de alguma forma, superando [obstáculos] para se tornar exemplos” em suas comunidades, disse Danielle.

Segue uma seleção de fotos do Projeto Estrada Vermelha.

Homem levanta criança acima da cabeça (© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)
(© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)

Julian Ramirez, pai solteiro, trabalha em um cassino na reserva de Standing Rock. Depois que seu filho Elijah nasceu, sua parceira o deixou. Como cabelo comprido é motivo de orgulho entre os índios, Julian ainda não cortou o cabelo de seu filho e diz que Elijah não poderá cortá-lo até completar 13 anos.

Prédios brancos baixos, postes e fios de eletricidade no deserto (© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)
(© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)

Uma imagem oferece um olhar de Shiprock, cidade na reserva navajo no Novo México que recebeu o nome devido a uma formação rochosa próxima que se parece com um navio (ship).

Homem sentado na calçada em frente de mural com arte indígena (© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)
(© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)

Martin Sensmeier, das tribos athabascan e tlingit do Alasca, é ator de Hollywood que fala com frequência em escolas tribais e participa de eventos indígenas.

Mulher de pé trançando o cabelo em um campo  (© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)
(© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)

Martin Sensmeier, das tribos athabascan e tlingit do Alasca, é ator de Hollywood que fala com frequência em escolas tribais e participa de eventos indígenas.

Meninos ao ar livre com caixa de som (© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)
(© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)

Imagem de dois meninos que criaram a banda American Eyes. Eles são da Cidade de Oklahoma e viajam pelas reservas, fazendo covers de músicas da banda de rock AC/DC.

Mulher com vestido indígena vermelho de pé em rio (© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)
(© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)

Sage Honga, da tribo hualapai, participou do concurso Miss Ameríndia 2012. Ela incentiva jovens indígenas a estudar. Aqui ela usa um vestido feito à mão e maquiagem orgânica tradicionalmente usada pelo povo hualapai.

Crianças andam de bicicleta (© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)
(© Carlotta Cardana/Projeto Estrada Vermelha)

Dois meninos andando de bicicleta na aldeia sioux da reserva de Standing Rock.

Até o momento, O Projeto Estrada Vermelha passou por Londres, Roma e Verona, na Itália. O projeto visa dissipar concepções equivocadas sobre os índios americanos, disse Danielle.

Durante as sessões de fotos, “sempre perguntávamos aos fotografados o que gostariam que as pessoas soubessem sobre a cultura indígena”, acrescentou, “e a resposta comum é ‘resiliência. Apesar de tudo, ainda estamos aqui’”.