Restabelecendo o equilíbrio comercial entre EUA e China

As recentes medidas do presidente Trump para reequilibrar a relação comercial entre os Estados Unidos e a China confrontam práticas injustas por parte da China que prejudicam o comércio americano.

Olhando para os maiores parceiros comerciais dos EUA — China, México, Japão e Alemanha — nota-se um déficit com a China que é maior que o dos outros três combinados. O extrapolado déficit comercial de bens e serviços com a China em 2017 foi de US$ 337 bilhões, de acordo com o Bureau de Análise Econômica do Departamento de Comércio.

Balança com indicadores de déficit comercial dos seguintes países: Japão, Alemanha e México de um lado e China do outro (Depto. de Estado/S. Gemeny Wilkinson)“O presidente Trump deixou claro que devemos insistir em um comércio justo e recíproco com a China e fazer cumprir estritamente nossas leis contra o comércio injusto”, afirmou Robert Lighthizer, representante de Comércio dos EUA.

Lighthizer declarou que falar sobre esses problemas há anos não funcionou. “Os Estados Unidos estão empenhados em usar todas as ferramentas disponíveis para responder ao comportamento injusto e que distorce o mercado por parte da China”, disse. “As práticas comerciais sem precedentes e injustas da China são um desafio sério não apenas para os Estados Unidos, mas também para nossos aliados e parceiros em todo o mundo.”