O secretário de Estado, Mike Pompeo, conversa com o sultão omani Qaboos (Andrew Caballero-Reynolds/AP Images)
O secretário de Estado, Mike Pompeo, (à esquerda) se reúne com o sultão omani Qaboos bin Said (© Andrew Caballero-Reynolds/AP Images)

O secretário de Estado, Mike Pompeo, completou uma visita de uma semana a oito países do Oriente Médio. Durante a viagem, ele reiterou o compromisso dos Estados Unidos com a região e incentivou parceiros e aliados dos EUA a fim de combater as atividades destrutivas do regime iraniano.

Forte parceria econômica e de segurança com Omã

O secretário se reuniu com o sultão omani Qaboos bin Said (acima) em Mascate, em 14 de janeiro, e elogiou o sultão pela capacidade de Omã de criar oportunidades de diálogo sobre questões complexas em tempos difíceis, inclusive a paz entre Israel e os palestinos. Eles concordaram sobre a importância de todas as partes que trabalham com Martin Griffiths, enviado especial das Nações Unidas, visando acabar com o conflito no Iêmen. O secretário também agradeceu ao sultão por sediar reuniões recentes sobre os pilares econômico e energético da Aliança Estratégica do Oriente Médio proposta.

Pompeo estava concluindo uma semana de consultas com líderes de oito países do Oriente Médio. Uma parada final planejada para o Kuwait foi adiada para que a família Pompeo pudesse participar de um funeral em família.

Durante a viagem, ele anunciou que os EUA sediarão uma conferência global em Varsóvia, Polônia, de 13 a 14 de fevereiro, com foco na estabilidade, na paz e na segurança do Oriente Médio. O evento “reunirá dezenas de países de todo o mundo, da Ásia, da África, desde países do Hemisfério Ocidental, e também da Europa e do Oriente Médio, é claro”, disse Pompeo.

Conversas de grande amplitude com líderes sauditas

Secretário de Estado, Mike Pompeo, ao lado do rei saudita Salman bin Abdul-Aziz (Depto. de Estado)
(Depto. de Estado)

O secretário de Estado, Mike Pompeo, se reuniu com o rei saudita Salman bin Abdulaziz Al Saud (acima) e, separadamente, com o príncipe Mohammed bin Salman em Riad, em 14 de janeiro, a fim de discutir os laços estreitos dos dois países e os esforços do governo Trump visando criar paz e a estabilidade no Médio Oriente. “Uma solução política abrangente é a única maneira de pôr fim ao conflito no Iêmen”, disse Pompeo posteriormente. Eles também discutiram a morte do jornalista Jamal Khashoggi. Pompeo reiterou a expectativa dos EUA de que todos os envolvidos sejam responsabilizados.

Após sua chegada ao reino em 13 de janeiro, Pompeo conversou com o ministro de Estado para Relações Exteriores, Adel al-Jubeir, sobre uma gama completa de questões cruciais, incluindo Irã, Síria, Iêmen, Líbano, Líbia e Afeganistão.

Nova defesa, acordos culturais com o Qatar

Dois homens apertam as mãos em uma cerimônia (Depto. de Estado)
(Depto. de Estado)

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, se reuniu com vários líderes do Qatar em 13 de janeiro, incluindo o vice-primeiro-ministro e ministro das Relações Exteriores do Qatar, Mohammed bin Abdulrahman bin Jassim Al Thani (acima). Os líderes participaram do segundo Diálogo Estratégico EUA-Qatar e, posteriormente, assinaram novos acordos nas áreas de defesa, educação e cultura. Os acordos incluíam a expansão da presença dos EUA na Base Aérea de Al Udeid, a principal área de preparação para os esforços de coalizão com o objetivo de acabar com o Estado Islâmico. “Somos gratos pela disposição de seu país de garantir que a base aérea possa atender às necessidades das forças militares americanas nas próximas décadas”, disse Pompeo ao ministro das Relações Exteriores do Qatar.

Elogio pelo papel desempenhado pelos Emirados Árabes Unidos no Oriente Médio

Dois homens sentados conversando (Depto. de Estado)
(Depto. de Estado)

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, se reuniu em 12 de janeiro com o príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Zayed Al Nahyan, (acima) e o ministro das Relações Exteriores, xeique Abdullah bin Zayed Al Nahyan, dos Emirados Árabes Unidos. Pompeo expressou sua gratidão pelo envolvimento dos Emirados Árabes em questões regionais importantes, incluindo a busca pela paz duradoura no Iêmen.

O secretário agradeceu ao príncipe herdeiro e ao ministro das Relações Exteriores pela forte parceria dos Emirados Árabes Unidos com os Estados Unidos e discutiu maneiras de expandir os laços bilaterais, incluindo comércio e investimento.

Gratidão pela parceria com o Bahrein

Mike Pompeo é saudado por dignitários na pista de aeroporto no Bahrein (Depto. de Estado)
(Depto. de Estado)

O secretário de Estado, Mike Pompeo, discutiu prioridades fundamentais com os líderes do Bahrein em 11 de janeiro, incluindo o contraterrorismo, o conflito no Iêmen e as atividades perigosas do Irã.

O secretário expressou gratidão ao rei Hamad bin Isa Al Khalifa, ao príncipe herdeiro Salman bin Hamad Al Khalifa e ao ministro de Relações Exteriores, Khalid bin Ahmed Al Khalifa, pela parceria estratégica do Bahrein com os Estados Unidos, incluindo o fato de sediar a Quinta Frota dos EUA.

Eles discutiram a realização da Aliança Estratégica do Oriente Médio, ancorada por um Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) unido. O Bahrein é o primeiro dos seis países do CCG que Pompeo está visitando.

Visitando lugares de culto no Egito

Pessoas andando em corredor de igreja (Depto. de Estado)
(Depto. de Estado)

O secretário de Estado, Mike Pompeo, visitou a Catedral da Natividade de Cristo da Igreja Ortodoxa Copta do Egito e a mesquita Al-Fattah Al-Alim, no coração da nova capital administrativa do Egito.

Discursando no Egito: EUA são ‘uma força para o bem no Oriente Médio’

Mike Pompeo discursa de uma tribuna (© Amr Nabil/AP Images)
(© Amr Nabil/AP Images)

O secretário de Estado, Mike Pompeo, confirmou o compromisso dos EUA com seus aliados no Oriente Médio e os conclamou a assumir mais responsabilidades para erradicar o terrorismo islâmico radical e a combater as atividades malignas do Irã.

Em um importante discurso na centenária Universidade Americana no Cairo em 10 de janeiro, Pompeo afirmou que a abordagem do governo Trump está fortalecendo essas parcerias.

Ele disse que os Estados Unidos sempre foram “uma força para o bem no Oriente Médio”.

“Nosso objetivo é fazer parceria com nossos amigos e nos opor veementemente a nossos inimigos, porque um Oriente Médio forte, seguro e economicamente vibrante é do nosso interesse nacional e seu também”, afirmou.

Embora os EUA vão retirar as tropas da Síria e levá-las de volta para casa, “não se trata de uma mudança de missão”, disse ele. “Continuamos comprometidos com o completo desmantelamento da ameaça do Estado Islâmico e a luta contínua contra o terrorismo radical islâmico (…) Esperamos que nossos parceiros façam mais daqui para frente.”

“Pedimos que todas as nações pacíficas do Oriente Médio assumam novas responsabilidades com o intuito de derrotar o extremismo islâmico onde quer que o encontremos”, afirmou.

Ele alertou que “as nações do Oriente Médio jamais vão desfrutar de segurança, alcançar estabilidade econômica ou promover os sonhos de seu povo se o regime revolucionário do Irã persistir em seu rumo atual”.

Anteriormente, Pompeo se reuniu com o presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi. Ele reiterou o compromisso dos EUA com sua parceria estratégica e agradeceu a Sisi por sua liderança na promoção da tolerância religiosa. Pompeo também enfatizou a importância de proteger os direitos humanos.

Mantendo-se firme ao lado do Iraque

Dois homens conversam sentados à mesa (© Andrew Caballero-Reynolds/AP Images)
O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, à esquerda, se reúne com o primeiro-ministro iraquiano, Adel Abdel Mahdi, em Bagdá (© Andrew Caballero-Reynolds/AP Images)

O secretário Pompeo fez uma visita surpresa a Bagdá em 9 de janeiro para conversar com o primeiro-ministro, Adel Abdul-Mahdi (acima), e outros líderes iraquianos. Pompeo expressou apoio aos esforços do novo governo que busca proporcionar estabilidade, segurança e prosperidade a todos os iraquianos. O secretário também enfatizou o compromisso contínuo dos EUA de trabalhar com as Forças de Segurança do Iraque visando garantir a derrota duradoura do Estado Islâmico em toda a região.

Parceria estratégica duradoura com a Jordânia

Dois homens em pé atrás de tribuna (Depto. de Estado/Ron Pryzsucha)
(Depto. de Estado/Ron Pryzsucha)

Em sua primeira parada em Amã, na Jordânia, em 8 de janeiro, Pompeo se reuniu com o rei Abdullah II bin al-Hussein e elogiou sua liderança. “Sua nação desempenha um papel fundamental na segurança e na estabilidade da região, inclusive através de seus esforços para resolver pacificamente o conflito sírio, lutar contra a disseminação do terrorismo islâmico radical e combater as atividades malignas do regime iraniano”, disse Pompeo. Ele também se reuniu com o ministro das Relações Exteriores jordaniano, Ayman Safadi (acima).

Anteriormente, a caminho do Oriente Médio, Pompeo disse aos repórteres: “Nosso compromisso de apoiar a estabilidade no Oriente Médio continua a todo vapor.”