Os jornalistas são “defensores da liberdade”, afirma o secretário de Estado, John Kerry, pois trabalham em um “empreendimento muito precioso… sob constante pressão.”

Kerry discursou em 28 de janeiro* na abertura oficial do novo prédio do Washington Post. Este jornal, lembrou Kerry, provou que “nem o presidente dos Estados Unidos está acima da lei” quando expôs detalhes do escândalo de Watergate durante o governo do presidente Richard Nixon.

John Kerry acena para o público sentado (Depto. de Estado)
O secretário de Estado, John Kerry, acena para jornalistas do Washington Post ao entrar na nova sede do jornal (Depto. de Estado)

Reforçando a verdade

“Reportar a verdade é um serviço público”, disse Kerry. “O silêncio permite que o crime e a corrupção apodreçam países inteiros.” Por essa razão, os Estados Unidos sustentam programas que apoiam a mídia independente em 30 países.

“Um país sem uma imprensa livre e independente não tem nada para se gabar, nada para ensinar e nenhum meio de realizar seu potencial”, afirmou Kerry.

Jornalistas enfrentam perigo

Segundo o secretário, nos dias de hoje muitas vezes os jornalistas enfrentam perigo. Somente no ano passado, 71 membros da mídia foram mortos e cerca de 200 foram presos.

Kerry também recebeu o repórter do Washington Post Jason Rezaian, que foi encarcerado em uma prisão iraniana por 545 dias. Rezaian ouvia atentamente enquanto Kerry destacava os perigos do jornalismo de hoje.

Saiba mais** sobre a importância de uma imprensa livre e a liberdade de informação.

* site em inglês
** site em inglês com artigos traduzidos para o português e outros seis idiomas