Sistema dos EUA alertará milhões de pessoas sobre terremotos

Mãos segurando um telefone celular com o aviso ShakeAlert exibido na tela (Pesquisa Geológica dos EUA, Depto. do Interior)
O aviso ShakeAlert aparecerá em qualquer smartphone, como este (Pesquisa Geológica dos EUA, Depto. do Interior)

Quando um terremoto inicia um abalo sísmico, um alerta de alguns segundos pode significar a diferença entre a vida e a morte.

Uma nova tecnologia dos EUA dará esse alerta a milhões de pessoas. Já de uso doméstico, está sendo testada em países como Chile, Grécia, Israel, República da Coreia e Turquia, entre outras nações.

A Pesquisa Geológica dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) firmou parceria com várias universidades da Costa Oeste e uma universidade de pesquisa suíça para desenvolver um aplicativo móvel que envia alertas a milhões de residentes da Costa Oeste dos EUA dezenas de segundos antes de um terremoto atingir sua área.

O aplicativo, ShakeAlert, se tornou possível através de um financiamento no valor de US$ 12 milhões por parte do governo dos EUA e envolveu a inserção de centenas de sismômetros no Canadá e nos estados americanos de Washington, Oregon e Califórnia.

Quando os sensores detectam o início de um terremoto de magnitude 5,0 ou maior, residentes recebem uma mensagem recomendando que procurem abrigo.

O aplicativo também fornecerá avisos a sistemas de trânsito, como o sistema Bart, sigla em inglês para Trânsito Rápido da área da Baía de São Francisco (conhecida como Bay Area).

Foto à esquerda: equipe de emergência caminhando ao redor do local em que houve o desmoronamento de um viaduto (© Douglas C. Pizac/AP Images) Foto à direita: sismômetro e painel solar em uma clareira em uma floresta (USGS/David Croker)
À esquerda: pessoal de emergência trabalha no local onde um viaduto desabou na Rodovia Interestadual 5 em janeiro de 1994, após o terremoto Northridge de magnitude 6,7 em Los Angeles (© Douglas C. Pizac/AP Images) À direita: um sismômetro e seu painel solar foram colocados na Floresta Nacional Shasta-Trinity, na Califórnia (USGS/David Croker)

“Os sistemas acionados pelo ShakeAlert podem transformar meros segundos em oportunidades para as pessoas adotarem medidas de proteção que salvam vidas”, disse David Applegate, funcionário da USGS, em uma declaração de 4 de maio*, “ou para que os aplicativos ativem ações automatizadas que protejam a infraestrutura crucial.

Um algoritmo para salvar vidas

O sistema ShakeAlert chega após 13 anos de desenvolvimento, colaboração acadêmica e testes realizados de um estado ao outro.

Um algoritmo da Universidade da Califórnia em Berkeley, ElarmS abreviação em inglês para Earthquake Alarms Systems (Sistemas de Alarmes de Terremotos) foi um dos primeiros algoritmos a fornecer dados para o ShakeAlert.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia em Berkeley o desenvolveram e o testaram em 2007. Funcionou bem, emitindo alertas antes mesmo das ondas S atingirem a superfície da Terra. São essas as ondas mais prejudiciais que causam um estrondo no subsolo.

Os Estados Unidos se juntam a países como Japão, México e Chile, que têm sistemas de alerta patrocinados pelo governo com o objetivo de alertar a ocorrência de grandes terremotos para seus cidadãos.

* site em inglês