Tillerson pressiona por reformas no Afeganistão

Rex Tillerson e Ashraf Ghani conversam sentados (© AP Images)
O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, e o presidente afegão, Ashraf Ghani, na base aérea de Bagram, no Afeganistão (© AP Images)

O secretário de Estado, Rex Tillerson, visitou o Afeganistão em 23 de outubro para se reunir com o presidente Ashraf Ghani e ressaltar a nova estratégia do presidente Trump para combater o terrorismo e levar paz e estabilidade para a região.

“Considerei muito importante parar aqui no Afeganistão (…) como parte da política e da estratégia recentemente anunciadas em relação ao Sul da Ásia que o presidente Trump apresentou”, disse Tillerson, que fez uma rápida viagem ao Afeganistão após uma visita ao Qatar.

O presidente afegão “me assegurou de seu firme compromisso de continuar as reformas aqui no Afeganistão, bem como sua nova estratégia e políticas de combate à corrupção que [vão] apoiar grande parte do esforço aqui”, disse o diplomata sênior dos EUA.

Eles também discutiram os preparativos para as eleições parlamentares do próximo ano. Tillerson disse que é “muito importante que essas eleições sejam implementadas”.

O Afeganistão já fez avanços ao promover “uma população muito mais vibrante, um governo e um sistema educacional muito mais vibrantes, e uma economia mais forte”, disse Tillerson a jornalistas.

Close de Rex Tillerson com John Nicholson logo atrás (© AP Images)
O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, com o general John Nicholson, comandante das Forças Armadas dos EUA, no Afeganistão (© AP Images)

“Temos muito trabalho e desafios à nossa frente, mas os Estados Unidos e nossos parceiros aqui no Afeganistão estão empenhados em ver isso prosperar”, disse Tillerson, que também viajará para Islamabad a fim de se encontrar com líderes paquistaneses.

“Fizemos alguns pedidos muito específicos ao Paquistão para que eles adotem medidas visando minar o apoio que o Talibã recebe e que as outras organizações terroristas recebem no Paquistão”, disse ele a repórteres.

Em 21 de agosto, Trump anunciou que estava conferindo aos comandantes dos EUA mais autoridade para declarar guerra contra “terroristas e redes criminosas do Talibã que semeiam violência e caos por todo o Afeganistão”.

“Devemos impedir o ressurgimento de refúgios que permitem aos terroristas ameaçar os Estados Unidos”, declarou o presidente. E Trump também enfatizou que “nosso compromisso não é ilimitado e nosso apoio não é um cheque em branco. O governo do Afeganistão tem de arcar com sua quota relativa ao encargo militar, político e econômico”.

A visita de Tillerson ao Afeganistão faz parte de uma viagem multinacional. Ele viajou a Bagdá depois de visitar o Afeganistão. Durante o fim de semana, ele se reuniu com líderes sauditas e qtarianos a fim de discutir questões no Golfo. Ele também visitará Nova Délhi para se reunir com altos funcionários indianos. Tillerson falou na semana passada sobre a importância da crescente parceria estratégica e econômica entre os EUA e a Índia.

Ele também fará uma parada em Genebra a fim de discutir questões humanitárias globais com funcionários das Nações Unidas.