Mão segura tigela contendo alimento (Centro de Alfabetização Culinária)
“Chana masala” é uma das seis receitas populares apresentadas no currículo do Alfabeto Comestível (Centro de Alfabetização Culinária)

Compartilhar alimentos é uma prática comunitária que transcende culturas. Embora a culinária e o estilo de preparação possam variar, o ato de se reunir com amigos e familiares para uma refeição é universal.

O programa Alfabeto Comestível, realizado no Centro de Alfabetização Culinária na Biblioteca Gratuita da Filadélfia, aproveita a universalidade dos alimentos para ajudar imigrantes e refugiados a melhorar seu conhecimento de inglês. O centro tem uma cozinha de nível comercial — equipada com bicos de gás, fornos de convecção, refrigeradores e bancadas em aço inoxidável — que também funcionam como sala de aula.

“Cozinhar é o veículo através do qual estudantes aprendem, praticam, refinam e expandem seu conhecimento da língua inglesa”, disse Lindsay Southworth, instrutora do curso.

Aprendendo através da culinária

Criado em 2015, o curso gratuito é oferecido para falantes de inglês como segunda língua na Filadélfia e recebe estudantes de todos os níveis de proficiência em inglês. Cada turma tem um instrutor de culinária e um de idioma, que colaboram entre si a fim de tornar os exercícios culinários educativos e saborosos.

As aulas normalmente começam com uma atividade interativa quebra-gelo, onde os estudantes conversam e repassam importantes conceitos de linguagem da semana anterior. Após uma atividade de leitura e redação ou jogo, a receita do dia é anunciada, o novo vocabulário é introduzido e a preparação do prato começa.

Fileira de pessoas preparando comida ao longo de uma mesa longa (Centro de Alfabetização Culinária)
Os alunos são agrupados para que não possam falar seus idiomas nativos (Centro de Alfabetização Culinária)

“Embora tenhamos alunos de níveis variados de proficiência em inglês na aula, eles trabalham juntos, estão motivados e têm um senso de comunidade”, afirmou Lindsay. “Isso ajuda a reduzir as disparidades entre algumas pessoas que possam ter um nível mais avançado de inglês e outras que talvez sejam iniciantes.”

Mais do que cozinhar e aprender inglês, o currículo também integra uma habilidade bibliotecária semanalmente. Uma atividade envolve aprender sobre recursos empregatícios e oportunidades de negócios disponíveis na biblioteca. Estudantes interessados se inscrevem em consultas individuais com orientadores de carreira.

Desejo de expandir

Os coordenadores do programa desenvolveram “carrinhos de cozinha” e “cozinhas em uma caixa” que possuem os suprimentos necessários para lecionar. Esforços estão sendo feitos a fim de expandir o programa para outras bibliotecas na Filadélfia, tornando o curso mais acessível à comunidade mais ampla de interessados em aprender inglês.

“Uma das coisas que torna a culinária um veículo realmente interessante e envolvente para uma turma de Inglês é que as pessoas se reúnem ao redor de uma mesa comunitária, compartilhando comida”, disse Lindsay. “É uma experiência importante que abrange diferentes culturas e grupos linguísticos. Une as pessoas.”