Um ‘trator pensante’ e outros utensílios inteligentes para fazendas

Pessoas olham para um grande trator verde dentro de um salão de exposições (© Robert Lever/AFP/Getty Images)
Na Feira Internacional de Produtos Eletrônicos de Consumo de 2019, a John Deere, empresa fabricante de equipamentos agrícolas, exibiu uma colheitadeira descrita como uma “fábrica inteligente sobre rodas” (© Robert Lever/AFP/Getty Images)

Uma nova tecnologia agrícola de empresas dos EUA está mudando rapidamente a vida na fazenda, ao mesmo tempo em que aumenta o rendimento e o lucro das colheitas.

O último modelo de colheitadeira da John Deere, empresa americana de equipamentos industriais, leva em consideração como, quando e onde cortar o campo de um agricultor, tomando decisões em tempo real usando GPS, inteligência artificial e outras tecnologias sensoriais.

“Um agricultor não consegue enxergar cada grão enquanto percorre as diferentes seções da máquina de colheita e pode colher um campo inteiro antes de perceber que havia algo errado”, disse John Teeple, diretor de Tecnologia Avançada da John Deere.

Uma câmera de alta definição de uma colheitadeira autodirigível da Deere amplia um grão de trigo, tira uma foto e a envia para uma plataforma de computador que usa inteligência artificial a fim de determinar qual configuração de separação de grãos selecionar com base em dados que incluem mudanças climáticas e condições do solo — até mesmo informações coletadas em fazendas vizinhas.

“Essas máquinas agora são inteligentes o suficiente para realizar essas mudanças e ajustar automaticamente as configurações”, disse Teeple.

Robôs dão uma mãozinha

Pequenas fazendas e jardineiros de quintal também podem reduzir custos e impulsionar colheitas com robôs projetados pelos EUA e equipados com software de inteligência artificial (IA).

O FarmBot, sistema robótico de jardinagem criado por uma pequena empresa de tecnologia dos EUA, “pode plantar sementes com precisão milimétrica, medir a umidade do solo, regar cada planta com precisão de acordo com suas necessidades, usar a câmera para detectar ervas daninhas e também destruí-las”, afirmou Rory Aronson, fundador da empresa, engenheiro mecânico e empresário, em um vídeo da empresa. O design e a tecnologia do FarmBot são gratuitos, e os agricultores, tanto quanto o Chile, Israel, a Índia e o Vietnã, já colocaram a tecnologia em uso.

Depois que o robô planta, fertiliza, capina e irriga cada planta em um jardim de quintal ou em uma pequena propriedade rural, ele envia ao produtor um alerta de smartphone quando os produtos hortícolas estão prontos para a colheita.

Jardineiros de quintal podem produzir produtos hortícolas suficientes para alimentar uma família de quatro pessoas, enquanto emitem 25% menos emissões de dióxido de carbono do que produtos hortícolas cultivados comercialmente — ainda menos se o FarmBot for combinado com energia solar.

Instrutores e professores de todo o mundo também usam o FarmBot como uma ferramenta de aprendizagem e pesquisa baseada em CTEM. Até mesmo a Nasa está trabalhando com o FarmBot para explorar a possibilidade de cultivar produtos hortícolas no espaço.

Erin E. Sparks: Nosso sofware @farmbotio está completo!!! Não vemos a hora de usá-lo como parte do meu novo curso no próximo semestre. Link para uma transmissão ao vivo em breve… #HappyNewYear  #UDPlantScience  #UDMakerGym  #IDEAnetwork  #MakerGymFacultyFellow

Este artigo foi originalmente publicado em 22 de fevereiro de 2019.